Lula deseja que o Estado o indenize

Lula deseja que o Estado o indenize

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que o Estado brasileiro terá de “pagar os prejuízos causados” em sua vida. A declaração foi proferida neste domingo, 25, durante comício na quadra da Portela, no Rio de Janeiro. O petista se refere ao período que ficou preso em Curitiba, depois de ser condenado por nove juízes e em três instâncias.

“Não é todo mundo que tem a grandeza de pedir desculpas”, disse Lula, no discurso. “Outro dia, achei honroso o William Bonner, no dia em que fui à entrevista na Globo, dizer: ‘Presidente, o senhor não deve mais nada à Justiça deste país’. Eles que devem a mim. Em algum momento, o Estado terá de devolver e me pagar os prejuízos que causaram em minha vida.”

Fora do debate

No sábado 24, Lula não compareceu ao debate promovido pelo SBT. Ele disse que, em virtude da demora na confirmação do evento, decidiu marcar comícios em São Paulo e no Rio de Janeiro.

A emissora informou, em nota emitida na sexta-feira 23, que a campanha de Lula foi comunicada em março sobre a data do debate.

Leia na íntegra a nota do SBT

“O pool de veículos de comunicação formado por SBT, CNN Brasil, Terra, Novabrasil, Estadão/Eldorado e Veja recebeu com surpresa nesta sexta-feira a declaração dada à imprensa pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, para justificar a decisão de se ausentar do debate que será realizado amanhã, 24, às 18h15.

Diferentemente do que foi declarado pelo candidato, a formação do pool deu-se antes mesmo da sugestão feita por sua campanha, com a parceria firmada originalmente entre SBT, Veja, Novabrasil e Estadão/Eldorado, ainda em março deste ano.

Em 22 de março, os quatro grupos enviaram formalmente e-mail às campanhas presidenciais, comunicando a realização do debate e informando as datas escolhidas para os confrontos do primeiro e segundo turno. E, em 28 do mesmo mês, foi realizada a primeira reunião presencial com representantes dos candidatos convidados. A campanha de Lula esteve presente em tal reunião, assim como em todas as demais reuniões convocadas para discutir os detalhes e as regras do debate.

pool já existente foi ampliado posteriormente com a entrada do Terra e da CNN Brasil, conforme anúncio feito em 29 de julho. Portanto, quase dois meses antes da data do debate.

pool lamenta a decisão do candidato de não participar, por entender que o debate é um dos mais importantes instrumentos para fomentar a democracia e ajudar o eleitor na hora do voto.”

‘Convite a convite’

No mês passado, a presidente nacional do Partido dos Trabalhadores, Gleisi Hoffmann, disse que a participação de Lula em novos debates seria analisada caso a caso. “Vamos avaliar convite a convite”, afirmou. “Vamos avaliar também os convites de entrevistas. Não há problema nenhum em participar. Queremos discutir um pouco o formato. O formato desse debate é muito ruim.”

Na avaliação da presidente nacional do PT, o formato do primeiro debate, realizado nos estúdios da TV Bandeirantes em São Paulo, desfavorece Lula. Isso porque todos os candidatos devem perguntar e responder a perguntas; não há tempo para rebater críticas dos concorrentes ao Planalto.

Como mostra reportagem publicada em Oeste, aliados do ex-presidente da República consideram que seu desempenho foi ruim. Lula não conseguiu administrar o tempo por mais de duas ocasiões e acabou tendo o microfone cortado. Ele também não conseguiu rebater seu principal adversário, o presidente Jair Bolsonaro (PL), quando foi chamado de presidiário.

Sem o direito de falar ao vivo na televisão, a assessoria de Lula usou as redes sociais como palanque. A visibilidade, contudo, foi muito menor que a verificada no debate. “Acho que é plenamente possível fazermos isso, mas não vou me comprometer, porque posso passar por mentiroso”, disse o petista.

Créditos: Revista Oeste.




Leia também:

Terra Brasil Notícias