Juiz do TSE manda Google explicar suposto privilégio do YouTube a conteúdo pró-Bolsonaro

Juiz do TSE manda Google explicar suposto privilégio do YouTube a conteúdo pró-Bolsonaro

Pedido foi feito pela campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT)

O juiz auxiliar da presidência do Tribunal Superior Eleitoral, Marco Antônio Martin Vargas determinou que o Google Brasil preste informações, em 48 horas, sobre pesquisa que mostra que YouTube supostamente tem privilegiado conteúdo alinhado ao governo de Jair Bolsonaro (PL) aos usuários que navegam pela rede social.

“Da análise do Pedido de Providências, verifica-se que a questão relatada pode trazer eventual análise de abuso do uso dos meios de comunicação, de modo que se recomenda a intimação da empresa Google Brasil Internet Ltda. para que preste informações a respeito do alegado em 48 horas, sem prejuízo o da análise do alegado pelo Ministério Público Eleitoral”.

O pedido foi feito pela campanha de Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O favorecimento a conteúdos bolsonaristas foi revelado por uma pesquisa publicada pela NetLab, da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

No pedido, os advogados da campanha do petista afirmam que o estudo mostrou que em mais de 50% das visitas de novos usuários ao YouTube os canais da Jovem Pan foram identificados na primeira página de vídeos apresentados.

“Os efeitos dessa indicação inicial ainda se desdobram no que os pesquisadores chamam de “ciclo de retroalimentação autorreferenciado”, que reforça ainda mais as recomendações da plataforma. Mais de 70% dos usuários do YouTube consomem conteúdo a partir dessas sugestões”, afirmaram a defesa da campanha de Lula.

Procurado, o Google ainda não se manifestou.




Leia também:

Terra Brasil Notícias