EUA aprovam a entrada de Finlândia e Suécia na Otan

EUA aprovam a entrada de Finlândia e Suécia na Otan

O presidente  Joe Biden  assinou os documentos de ratificação na terça-feira, aproximando a Finlândia e a Suécia da adesão à aliança da Otan.

″[O presidente russo Vladimir] Putin pensou que poderia nos separar”, disse Biden da Sala Leste da Casa Branca. “Nossa aliança está mais próxima do que nunca, está mais unida do que nunca e, depois que a Finlândia e a Suécia se unirem, seremos mais fortes do que nunca.”

Na semana passada, o Senado votou por 95 a 1 para ratificar a entrada da Finlândia e da Suécia na aliança militar mais poderosa do mundo.

Em maio, ambas as nações iniciaram o processo formal de candidatura à OTAN em meio à guerra da Rússia na Ucrânia. Moscou, há muito cautelosa com a expansão da Otan, se opôs aos planos das duas nações de ingressar na aliança.

Tanto a Finlândia como a Suécia já cumprem muitos dos requisitos para serem membros da OTAN. Alguns dos requisitos incluem ter um sistema político democrático funcional, uma vontade de proporcionar transparência econômica e a capacidade de fazer contribuições militares para as missões da OTAN.

“Eles atenderão a todos os requisitos da Otan, estamos confiantes nisso”, disse Biden antes de assinar os documentos.

No início deste ano, Biden recebeu líderes de ambos os países na Casa Branca e prometeu trabalhar com o Senado – que deve aprovar a aprovação dos EUA das propostas da OTAN – e os outros 29 membros da aliança para trazer rapidamente a Suécia e a Finlândia para o grupo.

Na época, Biden, ladeado pelo presidente finlandês Sauli Niinisto e pela primeira-ministra sueca Magdalena Andersson, disse que os dois países “tornariam a Otan mais forte”. Ele chamou seus movimentos para aderir ao pacto de uma “vitória para a democracia”.




Leia também:

Terra Brasil Notícias