Líder do União Brasil diz que não vai entrar em ‘banquete fisiológico’ de Lula

Líder do União Brasil diz que não vai entrar em ‘banquete fisiológico’ de Lula

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Elmar Nascimento ressaltou que a sigla não vai integrar o bloco governista caso não seja visto como protagonista na formatação de políticas públicas

O líder do União Brasil na Câmara, Elmar Nascimento, confirmou a O Antagonista que o partido foi sondado por Lula, na terça-feira última (29) para que a sigla faça parte da base de sustentação do governo petista em 2023.

Apesar disso, Nascimento ressaltou que a sigla não vai aceitar integrar um eventual bloco governista caso não seja visto como protagonista na formatação de políticas públicas da futura gestão.

“Ele [Lula] verbalizou uma intenção para que a gente pudesse participar da base e, por consequência, do governo. Ficou apenas em uma primeira conversa. Agora, a questão da economia, sobretudo a questão da responsabilidade fiscal é uma premissa histórica do partido. Não há como entrar na base de governo sem que isso esteja estabelecido como parâmetro”, disse o líder a este site.

Depois dessa conversa, o PT estuda entregar duas pastas ao partido para convencer parte da bancada do partido a integrar a base governista. Esse convite formal deve ocorrer nas próximas duas semanas.

Apesar disso, Nascimento ressaltou que, mesmo diante de um eventual composição ministerial, isso não seria determinante para integrar a futura base.

“Outra questão fundamental para a gente é a participação [do partido] das diretrizes da política pública nacional. Não vou entrar no governo de um banquete fisiológico de ‘toma lá dá cá’. Se for isso, estamos fora”, disse o parlamentar.

“[O convite é] Para casamento, de papel passado, testemunha, foto? Isso sim é parceria. Agora, não queremos ser tratados simplesmente como um amante.”



Leia também:

Terra Brasil Notícias