Regulador irlandês multa Facebook em 265 milhões de euros por violação de privacidade

Regulador irlandês multa Facebook em 265 milhões de euros por violação de privacidade

foto: reprodução

A Meta foi pega não respeitando as regras de privacidade da Europa, resultando na Comissão Irlandesa de Proteção de Dados aplicando uma pesada multa à gigante da mídia social. 

A controladora do Facebook deve pagar uma multa de 265 milhões de euros (US$ 275 milhões) e tomar uma série de medidas corretivas, disse o DPC irlandês em um anúncio na segunda-feira, ao concluir uma investigação de um ano e meio.

O cão de guarda lançou uma investigação sobre a Meta depois de descobrir que um conjunto de dados coletados de dados pessoais do Facebook das pessoas havia sido disponibilizado na Internet. Depois de examinar de perto as ferramentas de pesquisa do Facebook, importador de contatos do Facebook Messenger e importador de contatos do Instagram, descobriu que a Meta não estava cumprindo sua obrigação legal de garantir a proteção de dados por design e padrão.

Cabe ao regulador de privacidade da Irlanda garantir que a Meta esteja seguindo o Regulamento Geral de Proteção de Dados da Europa (GDPR), que entrou em vigor em 2018, porque, como muitos outros gigantes da tecnologia do Vale do Silício, a Meta optou por basear sua sede europeia naquele país. O GDPR oferece aos usuários europeus da Internet algumas das proteções de privacidade mais fortes do mundo. Se houver brechas de segurança ou se esses dados forem retidos por mais tempo do que o necessário, as empresas podem ter grandes problemas.

Não é o primeiro problema da empresa com a lei. Em setembro de 2021, o DPC multou a Meta porque seu serviço de mensagens WhatsApp não explicou adequadamente aos usuários como estava usando seus dados. Existem várias outras áreas das práticas históricas de privacidade da Meta que o DPC também está investigando. Mas, por enquanto, a empresa tem que lidar com a grande multa desta semana.

“Proteger a privacidade e a segurança dos dados das pessoas é fundamental para o funcionamento do nosso negócio”, disse um porta-voz da Meta em comunicado. Ele acrescentou que a empresa cumpriu a investigação da DPC e fez alterações na plataforma no período provisório para evitar a raspagem de dados, incluindo números de telefone.

“A raspagem de dados não autorizada é inaceitável”, disse ele, acrescentando que a Meta estava revisando cuidadosamente a decisão do DPC.



Leia também:

Terra Brasil Notícias