“Erro grave”, afirma Musk sobre decisão de banir Trump do Twitter

“Erro grave”, afirma Musk sobre decisão de banir Trump do Twitter

Imagem: Reprodução.

Para Elon Musk, a suspensão da conta do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump da plataforma Twitter depois da invasão ao Capitólio foi um “erro grave”. A conta do ex-presidente foi desativada 2 dias depois de apoiadores do republicano invadirem o Congresso dos EUA durante sessão que certificaria a vitória de Joe Biden nas eleições presidenciais.

Estou bem com Trump não twittando. O importante é que o Twitter corrija um grave erro ao banir sua conta, apesar de não ter violado a lei ou os termos de serviço”, disse o bilionário ao responder uma publicação no Twitter na 6ª feira (25.nov.2022).

“Tirar da plataforma um presidente em exercício minou a confiança do público no Twitter para metade dos EUA”.

Elon Musk diz que proibição do Twitter a Trump depois de ataque ao Capitólio foi "erro grave"

Em seguida, ainda pelo Twitter, Musk afirmou ter votado em Biden “relutantemente” nas eleições de 2020, ao invés de Trump.

“Mas a liberdade de expressão é a base de uma democracia forte e deve ter precedência”, disse Musk. “Minha preferência para a presidência de 2024 é alguém sensato e centrista. Eu esperava que esse fosse o caso do governo Biden, mas fiquei desapontado até agora”.

Musk decidiu reativar o perfil de Trump depois de realizar uma enquete na plataforma. Cerca de 51,8% dos 15 milhões de votos totais foram a favor.

“Eu não vejo nenhuma razão para isso [volta ao Twitter]. Há muitos problemas no Twitter. Os problemas são gigantes e os engajamentos, negativos. Você tem muitos bots, muitas contas falsas”, disse Trump depois do anúncio que sua conta voltaria.

SUSPENSÃO DE TRUMP

O Twitter bloqueou permanentemente a conta de Trump em 8 de janeiro de 2021, dizendo que a decisão foi tomada pelo “risco de mais incitação à violência”. Dois dias antes, apoiadores do republicano haviam invadido o Capitólio, que funciona como o centro legislativo do Estado norte-americano. Os manifestantes chegaram às dependências da Câmara e do Senado enquanto congressistas certificavam a vitória de Biden.

Na época, Trump fez diversas publicações no Twitter defendendo a manifestação realizada em Washington. Depois, pediu que o grupo respeitasse a lei durante a invasão.

“Após uma análise detalhada dos tweets recentes da conta @realDonaldTrump e do contexto em torno deles, suspendemos permanentemente a conta devido ao risco de mais incitação à violência”, informou o Twitter.

Créditos: Poder 360.



Leia também:

Terra Brasil Notícias