França está passando por sua seca mais severa de todos os tempos 

França está passando por sua seca mais severa de todos os tempos 

A primeira-ministra francesa Elisabeth Borne alertou que a França está enfrentando sua “seca mais severa” já registrada e anunciou a ativação de uma unidade de crise do governo, relata a Associated Press.

De acordo com a agência de notícias, Borne disse em um comunicado por escrito nesta sexta-feira que muitas áreas na França estão passando por uma “situação histórica” enquanto o país enfrenta sua terceira onda de calor neste verão.

“A seca excepcional que estamos enfrentando atualmente está privando muitos municípios de água e é uma tragédia para nossos agricultores, nossos ecossistemas e biodiversidade”, afirmou o comunicado.

As previsões meteorológicas sugerem que o calor, que aumenta a evaporação e as necessidades de água, poderá continuar nos próximos 15 dias, possivelmente tornando a situação ainda mais preocupante, sublinhou o comunicado.

A unidade de crise do governo ficará encarregada de monitorar a situação nas áreas mais atingidas e coordenar medidas como levar água potável a alguns lugares.

Também monitorará o impacto da seca na produção de energia, infraestrutura de transporte e agricultura da França.

A gigante de energia francesa EDF disse na sexta-feira que teve que cortar temporariamente a produção de energia em duas de suas usinas nucleares que usam água do rio para resfriar reatores. O grupo alertou que pelo menos mais uma usina pode ser afetada nos próximos dias devido às altas temperaturas no rio Ródano.

Após uma grande onda de calor em 2003, a agência de segurança nuclear da França, a ASN, estabeleceu limites de temperatura em 28 graus Celsius (82 graus Fahrenheit) para os rios, além dos quais as usinas devem reduzir sua produção para não tornar a água ainda mais quente e preservar o ambiente. Exceções temporárias permitem que algumas plantas aumentem esse limite em alguns graus durante “situações excepcionais”.

A França depende da energia nuclear para cerca de 70% de sua eletricidade, mais do que qualquer outro país.

A França agora tem 62 regiões com restrições no uso da água devido à falta de chuva.

Dependendo das situações locais, as restrições vão desde a proibição de irrigação durante as horas mais quentes do dia até o uso de água apenas para a população, gado e manutenção de espécies aquáticas.

O ministro da transição ecológica, Christophe Béchu, disse durante uma visita ao sudeste da França que mais de 100 municípios não podem mais fornecer água potável à torneira e precisam ser abastecidos por caminhão.

“Quanto pior a situação, mais priorizamos a água potável em relação a outros usos”, disse ele.




Leia também:

Terra Brasil Notícias