Cachorro de casal gay pega varíola dos macacos

Cachorro de casal gay pega varíola dos macacos

Trata-se de um dos primeiros casos de transmissão da doença de humanos para animais domésticos; episódio ocorreu na França

Um dos primeiros casos de transmissão da varíola dos macacos de humanos para animais domésticos foi registrado na França, segundo documento elaborado pela revista médica The Lancet.

Trata-se de um cachorro, da raça galgo, com 4 anos de idade. Ele pertence a um casal gay, formado por um latino-americano com HIV em níveis indetectáveis e por um homem branco, que é HIV-negativo.

O animal desenvolveu, 12 dias depois do início dos síntomas dos donos, lesões cutâneas características da doença, como pústulas na barriga e uma ulceração anal. A transmissão foi confirmada por meio da comparação do material genético do vírus encontrado nas amostras dos homens e do cachorro. O ortopoxvírus símio, que causa a doença, é transmitido por contato próximo com fluidos corporais e com feridas na pele.

Os donos revelaram ter um relacionamento aberto. Na prática, isso significa que eles podem ter outros parceiros sexuais. Há mais de dois meses, o casal procurou o Hospital Pitié—Salpêtrière, em Paris, por causa de ulcerações anais. As lesões apareceram neles dias depois de terem tido contato sexual com outras pessoas. O latino-americano teve lesões na face, nas orelhas e nas pernas. Seu parceiro, por sua vez, apresentou lesões nas pernas e nas costas. Os dois sentiram fraqueza, dor de cabeça e febre.

De acordo com estudo da revista NEJM, 98% dos contaminados com a varíola dos macacos são homens gays ou bissexuais.




Leia também:

Terra Brasil Notícias