Ao Roda Viva, Ciro Gomes repetiu dado errado sobre endividamento dos estados

Ao Roda Viva, Ciro Gomes repetiu dado errado sobre endividamento dos estados

Na noite da última segunda-feira (15), o candidato à Presidência pelo PDT, Ciro Gomes foi entrevistado no programa Roda Viva, exibido pela TV Cultura.

Confira a apuração feita pelo Terra Brasil sobre as afirmações do candidato:

Dívida pública

“Você tem ideia de quanto o governo brasileiro pagou desse mesmo cofre de juros para banco e para 10 mil famílias abastadas do Brasil de maio a maio? […] R$ 500 bilhões”

Candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), em entrevista no Roda Viva, em 15 de agosto de 2022

De fato, os gastos do governo com juros da dívida pública atingiram R$ 500 bilhões entre maio de 2022 e maio de 2021. No entanto, é falso que o valor tenha sido destinado somente a bancos e “famílias abastadas”.

Segundo o Relatório Mensal da Dívida Pública Federal de maio, 29,6% dos detentores dos títulos públicos federais são instituições financeiras e 23% pertenciam a fundos previdenciários, que inclui, por exemplo, fundos de funcionários da Caixa Econômica Federal, Banco do Brasil e outras instituições.

Já 23,2% desses fundos pertencia naquele mês a fundos de investimentos, dentre outros que fazem aplicações no Brasil.

Endividamento dos estados

“Hoje, 23 dos 27 estados brasileiros estão quebrados. Antes dos 20 bilhões de reais que o Bolsonaro tirou dos estados para fazer subsídio ao lucro exorbitante da Petrobras para tentar falsear a política de preço na véspera da eleição”

Candidato à Presidência, Ciro Gomes (PDT), em entrevista no Roda Viva, em 15 de agosto de 2022

O candidato já havia feito uma afirmação semelhante em entrevista à CBN, a qual foi verificada pela reportagem do Yahoo! Notícias.

Conforme dados doTesouro Nacional, cinco estados apresentam dívidas que ultrapassam 50% de suas respectivas receitas consolidadas, são eles:

  • Rio de Janeiro – 198,7%
  • Rio Grande do Sul – 182,5%
  • Minas Gerais – 169,3%
  • São Paulo – 126,6%
  • Santa Catarina – 53,1%

Conforme a Lei de Responsabilidade Fiscal, os estados entram em patamar de alerta a partir de um endividamento de 180%, enquanto o limite do endividamento é de200%.

Além disso, segundo a análise da capacidade de pagamento dos estados, sete estados não apresentam boa saúde fiscal. Ou seja, um novo endividamento desses estados representaria um risco de crédito para o Tesouro Nacional. São eles:

  • Rio de Janeiro
  • Rio Grande do Sul
  • Minas Gerais
  • Rio Grande do Norte
  • Tocantins
  • Goiás
  • Amapá

Os demais estados são considerados aptos para obter novas garantias.




Leia também:

Terra Brasil Notícias