Rosa Weber será a relatora das representações contra Bolsonaro por críticas às urnas eletrônicas

Ministra do STF foi sorteada e deverá encaminhar pedidos da oposição à Procuradoria-Geral da República

O Supremo Tribunal Federal (STF) vai encaminhar à Procuradoria-Geral da República os pedidos de investigação feitos pela oposição contra o presidente Jair Bolsonaro (PL), depois das críticas contra o sistema eleitoral do país. Nesta quarta-feira, 20, a ministra Rosa Weber foi escolhida por sorteio para relatar a solicitação dos parlamentares.

Na segunda-feira 18, o presidente se reuniu com embaixadores estrangeiros no Palácio da Alvorada, em Brasília. Ele externou preocupação com as urnas eletrônicas e reiterou críticas ao TSE pela resistência ao diálogo com as Forças Armadas sobre a segurança do pleito deste ano.

O discurso gerou forte repercussão, e, na terça 19, deputados da oposição pediram ao STF que investigue se as falas de Bolsonaro configuram improbidade administrativa, abuso de poder político e econômico, crime contra o Estado Democrático e propaganda eleitoral antecipada.

Nesta quarta, o Supremo designou a ministra Rosa Weber como relatora do caso, e ela deve encaminhar a demanda para a PGR decidir se pede a instauração de uma investigação formal, uma vez que o presidente tem foro privilegiado.

A representação foi assinada pelos seguintes deputados:

  • Alencar Santana (PT-SP)
  • Reginaldo Lopes (PT-MG)
  • Sâmia Bomfim (PSOL-SP)
  • Renildo Calheiros (PCdoB-PE)
  • Joênia Wapichana (Rede-RR)
  • Wolney Queiroz (PDT-PE)
  • Bira do Pindaré (PSB-MA)
  • Bacelar (PV-BA)
  • Afonso Florence (PT-SP)



Leia também:

Terra Brasil Notícias