Par de orcas causou sumiço de tubarões-brancos na África do Sul, diz estudo

Par de orcas causou sumiço de tubarões-brancos na África do Sul, diz estudo

Um casal de orcas afastou tubarões-brancos de um trecho da costa sul-africana depois de matar cinco animais em apenas alguns meses em 2017, de acordo com um novo estudo.

Os tubarões-brancos costumavam dominar áreas da costa de Gansbaai, a cerca de 100 quilômetros a leste da Cidade do Cabo, mas tem as evitado nos últimos anos, de acordo com um artigo publicado no African Journal of Marine Science na quarta-feira (30).

A costa de Gansbaai já foi um local popular para avistar grandes tubarões-brancos, mas as oservações diminuíram acentuadamente nos últimos anos. O estudo usou avistamentos de longo prazo e dados de marcação para demonstrar que os tubarões-brancos foram expulsos pelas orcas, às vezes conhecidas como baleias assassinas.

Os pesquisadores também analisaram cinco carcaças de tubarão-branco encontradas na praia, quatro sem os fígados, e um sem o coração também. Todos eles tinham feridas feitas pelo mesmo par de orcas, que provavelmente mataram mais tubarões, dizem os pesquisadores.

O estudo rastreou 14 tubarões-brancos ao longo de cinco anos e meio e descobriu que eles fugiram da área quando as orcas estavam lá. Os pesquisadores acreditam que a sensação de medo dos tubarões desencadeia uma migração em massa rápida e de longo prazo quando eles sabem que o predador está presente.

“Inicialmente, após um ataque de orca em Gansbaai, grandes tubarões-brancos individuais não apareceram por semanas ou meses”, disse a principal autora do estudo, Alison Towner, bióloga sênior de tubarões-brancos do Dyer Island Conservation Trust, em um comunicado à imprensa.

Towner acredita que estão “evitando em grande escala”, semelhante à forma como os cães selvagens no Serengeti evitam certas áreas quando os leões estão presentes.

“Quanto mais as orcas frequentam esses locais, mais tempo os tubarões-brancos ficam longe”, acrescentou.

Ecossistema em mudança

Antes de as orcas começarem a atacar os tubarões-brancos, eles ficaram ausentes de Gansbaai por apenas uma semana em 2007 e três semanas em 2016.

Isso significa que as ausências prolongadas testemunhadas pelas pesquisas são inéditas e estão mudando o ecossistema da região.

Os tubarões-baleia de bronze surgiram como novos predadores de nível médio na área, disse Towner.

“Esses baleeiros de bronze também estão sendo atacados pelas orcas, que indicam um nível de experiência e habilidade na caça de grandes tubarões”, disse Towner, acrescentando que as focas do Cabo estão agora atacando pinguins africanos, que estão ameaçados de extinção.

“Esse é um impacto de cima para baixo, também temos pressões tróficas ‘de baixo para cima’ da extensa remoção de abalone, que pastam as florestas de algas pelas quais essas espécies estão conectadas”, acrescentou.

“Para simplificar, embora esta seja uma hipótese por enquanto, há apenas uma certa quantidade de pressão que um ecossistema pode suportar, e os impactos da remoção de tubarões das orcas provavelmente são muito mais amplos”.

“Declínio abrupto”

Towner também acredita que as orcas são cada vez mais presentes na costa da África do Sul, e esse par em particular pode fazer parte de um grupo raro de comedores de tubarões.

“Esta mudança no comportamento de ambos os principais predadores pode estar relacionada a um declínio nas populações de presas, incluindo peixes e tubarões, causando mudanças em seu padrão de distribuição”, disse ela.

As orcas se concentram em tubarões mais jovens, disse ela, o que pode ter um impacto maior nas populações vulneráveis ​​​​de grandes brancos, à medida que os tubarões crescem lentamente e amadurecem no final da vida.

Os pesquisadores reconhecem que as temperaturas da superfície do mar também podem afetar os avistamentos de tubarões-brancos, mas “o declínio imediato e abrupto dos avistamentos no início de 2017 e os períodos prolongados e crescentes de ausência não podem ser explicados”.

Outras explicações podem incluir a pesca direta de grandes brancos ou a diminuição do número de presas devido à pesca, acrescentam, mas embora isso possa “contribuir potencialmente para um declínio geral no número de grandes brancos na África do Sul, é improvável que explique o súbito declínio localizado.”

Outro estudo de 2016 sugeriu que havia apenas algumas centenas de grandes tubarões brancos na África do Sul, em comparação com estimativas anteriores de alguns milhares.

Créditos: CNN.




Leia também:

Terra Brasil Notícias