Após calote, plataforma de criptomoedas listada na bolsa suspende saques e serviços

Após calote, plataforma de criptomoedas listada na bolsa suspende saques e serviços

Voyager, que recentemente anunciou ter sido vítima de calote do fundo Three Arrows Capital, paralisou todos os serviços e funções de sua plataforma de criptomoedas

A Voyager Digital, empresa de negociação e empréstimos de criptomoedas que tem ações negociadas na Bolsa de Valores de Toronto, no Canadá, anunciou nesta sexta-feira, 1º, a suspensão de sua oferta de serviços, incluindo saques, depósitos, negociações e recompensas de fidelidade. A empresa aponta o calote do fundo Three Arrows Capital (3AC) como uma das principais razões para a decisão.

“Esta foi uma decisão tremendamente difícil, mas acreditamos ser a decisão correta dadas as condições atuais do mercado”, afirmou Stephen Ehrlich, CEO da Voyager, em comunicado. “Esta decisão nos dá tempo adicional para continuar explorando alternativas estratégicas com as várias partes interessadas enquanto preservamos o valor da plataforma da Voyager, que construímos juntos”, completou.

No início da semana, a Voyager já havia divulgado que sua subsidiária Voyager Digital LLC tinha emitido uma notificação de calote à 3AC que teria falhado em cumprir os pagamentos acordados para um empréstimo de 15.250 bitcoins e US$ 350 milhões em USDC.

O calote, inclusive, foi o que motivou um tribunal das Ilhas Virgens Britânicas a decretar a liquidação do fundo 3AC. Agora, a Voyager diz que está “ativamente buscando as maneiras disponíveis para recuperar os valores”, e cita inclusive o processo de liquidação como um dos caminhos.

A Voyager também divulgou uma atualização de seu balanço patrimonial, informando possuir reservas de cerca de US$ 2 bilhões e cerca de US$ 1,1 bilhão emprestados a terceiros — o valor inclui os valores cedidos à 3AC que não foram quitados.

Com a decisão da suspensão dos serviços, a Voyager, muito utilizada por investidores institucionais, viu o preço de suas ações despencar. A queda nesta sexta foi de 17% e já passa de 81,7% no último mês. Desde o início de 2022, os papéis desvalorizaram 96%.




Leia também:

Terra Brasil Notícias