‘Sem surpresas’, diz Dallagnol sobre investigação no TCU reativada pelo STJ

‘Sem surpresas’, diz Dallagnol sobre investigação no TCU reativada pelo STJ

Apuração no TCU diz que R$ 2,8 milhões em diárias e passagens deveriam ser devolvidos pelos integrantes da Lava Jato

O ex-procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol disse não estar surpreso com a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que nesse sábado 25, decidiu reativar uma investigação feita pelo Tribunal de Contas da União (TCU) contra integrantes da operação que mais prendeu políticos e empreiteiros por corrupção no Brasil. 

“Dois dias atrás, logo após mais uma vitória no TRF-4, eu alertei a sociedade e a imprensa para o que iria acontecer se esse caso subisse para o STJ ou STF, e tudo aconteceu exatamente como antecipávamos. Sem surpresas aqui”, disse o ex-membro do Ministério Público Federal, hoje pré-candidato a deputado federal pelo Podemos no Paraná.

A apuração no TCU é sobre suposto recebimento indevido de diárias e passagens pelo ex-integrante do Ministério Público Federal durante a mais famosa operação contra combate à corrupção já realizada no Brasil.

Até então, a investigação estava suspensa por decisão da Justiça Federal do Paraná. “Os princípios da eficiência, da moralidade e da economicidade administrativa impõem a liberdade de atuação fiscalizatória do tribunal de contas, cuja atividade institucional, ao final, interessa e beneficia toda a sociedade, que clama por uma proba aplicação dos recursos públicos”, afirmou o presidente do STJ, Humberto Martins, em sua decisão.

O TCU começou a investigar o caso depois de representações de parlamentares e do Ministério Público. Em agosto do ano passado, o ministro do TCU Bruno Dantas afirmou que ao menos R$ 2,8 milhões em diárias e passagens deveriam ser devolvidos pelos integrantes da Lava Jato.

Bate-boca com petista

Ao falar sobre o caso nas redes sociais, um dos advogados de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse que “daqui para frente vai ser assim. Vai treinando: coçar o bolso e estender os pulsos”, afirmou Wadih Damous, que também é pré-candidato a deputado federal. 

Dallagnol respondeu no mesmo tom: “Não vou deixar o Brasil esquecer da roubalheira bilionária do seu partido e dos corruptos que você defende.”




Leia também:

Terra Brasil Notícias