Eletrobras propõe aumentos absurdos no salário do 1º escalão, que podem passar a ser 36 vezes maiores; VEJA NÚMEROS

Eletrobras propõe aumentos absurdos no salário do 1º escalão, que podem passar a ser 36 vezes maiores; VEJA NÚMEROS

A Eletrobras privatizada propôs, na 3ª feira (22.nov.2022), um aumento de salário a todo 1º escalão da empresa, a ser deliberado em assembleia geral extraordinária em 22 de dezembro. A depender do cargo, o aumento pode chegar a 3.576%.

Os valores são retroativos ao período de abril de 2022 a março de 2023. Os acionistas da Eletrobras já haviam aprovado aumento salarial em assembleia realizada em abril deste ano, mas a companhia diz que o reajuste não pode esperar.

Segundo a proposta, o maior aumento é no salário dos conselheiros de administração, que passará de R$ 5.440,36 para R$ 200.000,00 –alta de 3.576%. Já o presidente da Companhia, Wilson Ferreira Júnior, passará de uma remuneração de R$ 52.300 para R$ 300 mil mensais no período.

Será preciso submeter uma nova proposta à assembleia geral ordinária de abril para decidir a remuneração dos diretores, conselheiros de administração e conselheiros fiscais para depois do 1º trimestre de 2023.

Ao todo, a proposta prevê gastos de R$ 35,9 milhões com o pagamento ao 1º escalão da companhia. Em abril, o valor aprovado havia sido de R$ 15,4 milhões. Eis a divisão:

  • R$ 30,5 milhões para os integrantes da diretoria executiva;
  • R$ 2,8 milhões para os conselheiros de administração;
  • R$ 489.198,6 para os conselheiros fiscais; e
  • R$ 2 milhões para os integrantes dos comitês de assessoramento ao conselho de administração.

Como justificativa, o documento diz que nos últimos 7 anos, a assembleia geral teve o posicionamento de não aplicar qualquer reajuste e pelo congelamento da remuneração fixa de seus diretores e conselheiros.

O que teve o condão de tornar ainda mais relevante o já severo distanciamento remuneratório que separa as atuais práticas da Companhia daquelas de seus competidores e do mercado em geral”, afirma o documento.

A proposta da administração busca trazer um novo modelo de remuneração da diretoria da empresa, embasada no estudo elaborado pela consultoria Korn Ferry. O novo modelo foi recomendado pelo conselho de administração da companhia em reunião no dia 21 de novembro deste ano.

Os executivos da companhia passarão a receber adicionais variáveis conforme metas de curto e longo prazo. Também receberão ações restritas na companhia, em 5 transferências a serem realizadas anualmente a partir de março de 2023. Eis os valores totais estimados de acordo com o valor de R$ 44,03 por ação ordinária no último dia 18:

  • R$ 85.000 para os diretores da companhia;
  • R$ 30.000 para os conselheiros fiscais;
  • R$ 155.000 para os conselheiros administrativos.

O novo plano de remuneração da Eletrobras é proposto em um momento no qual a empresa tenta enxugar gastos com o lançamento de um PDV (Plano de Demissão Voluntária) para funcionários aposentados e aposentáveis. O plano deve se estender a outros trabalhadores no próximo ano.

Créditos: Poder 360.



Leia também:

Terra Brasil Notícias