Centrais sindicais vão ao TSE cobrar medidas de segurança para mesários

Centrais sindicais vão ao TSE cobrar medidas de segurança para mesários

A poucos dias do primeiro turno das eleições, representantes de centrais sindicais de todo o país vão desembarcar em Brasília para um encontro com o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Alexandre de Moraes.

A agenda está prevista para a próxima terça-feira (27) e foi solicitada pelos sindicatos. Na pauta, a preocupação crescente com a segurança de quem vai trabalhar nas sessões eleitorais no próximo domingo (2). Ao presidente da corte, sindicalistas vão cobrar medidas de segurança para os trabalhadores.

Devem participar da conversa líderes da Força Sindical, Central Única dos Trabalhadores (CUT), União Geral dos Trabalhadores (UGT), entre outros. De acordo com os sindicatos, trabalhadores que vão participar do pleito como mesários têm manifestado receio com a possibilidade de episódios de violência. Ocorrências recentes, como o da agressão ao pesquisador do Datafolha no interior de São Paulo, redobraram a atenção.

Ao TSE, presidentes de sindicatos vão relatar que receberam ligações, nas últimas semanas, com dúvidas sobre o reforço da segurança.

Plano de Segurança

A preocupação também foi manifestada por servidores da justiça que vão atuar nas zonas eleitorais. Em encontro com Moraes na última semana, coordenadores da Fenajufe, federação que representa trabalhadores do judiciário, cobraram do TSE um plano de segurança. E manifestaram apoio à possibilidade de restrição ao transporte de armas por CACs nos dias de pleito. A implementação da medida ainda está em análise pela corte eleitoral.

O tema também foi tratado com Moraes pela coligação do ex-presidente Lula, em reunião com o senador Randolfe Rodrigues, um dos coordenadores da campanha petista.

CNN apurou que Alexandre de Moraes pretende tratar do assunto em um pronunciamento, em cadeia de rádio e tv, às vésperas do primeiro turno.

Créditos: CNN Brasil.




Leia também:

Terra Brasil Notícias