Anvisa quer manter venda de álcool 70% para prevenir a varíola dos macacos

Anvisa quer manter venda de álcool 70% para prevenir a varíola dos macacos

Venda do produto foi permitida de forma temporária, desde setembro de 2020, por causa da pandemia da Covid-19

Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu consulta pública para manter a permissão da venda livre de álcool etílico 70% na forma líquida. A diretoria da Anvisa tomou a decisão por unanimidade nesta quarta-feira, 17. A venda do produto foi permitida de forma temporária, desde setembro de 2020, por causa da pandemia da Covid-19. Agora, a ampliação do prazo se deve a medidas de prevenção à varíola dos macacos. Em entrevista à Jovem Pan News, o secretário de vigilância em saúde do Ministério da Saúde, Arnaldo Medeiros, falou sobre a doença, formas de prevenção e ressaltou a importância da higienização das mãos como meio de evitar a contaminação: “A higienização das mãos deve ser uma rotina na nossa vida, não apenas com a Covid-19, ou com a varíola dos macacos, mas para qualquer outra doença que possa ser transmitida por meio de contaminações em superfícies que possam ter bactérias, vírus ou fungos de uma maneira geral”.

“O uso das chamadas medidas não farmacológicas, como a higienização das mãos com água e sabão ou álcool 70%, já deveria fazer parte da nossa rotina no passado e efetivamente veio para constituir um novo hábito da população brasileira”, declarou. O secretário também citou quais são os principais sintomas da varíola dos macacos que devem gerar preocupação nas pessoas: “Ao aparecer qualquer erupção cutânea, associada com febre, dor de cabeça, aparecimento de gânglios na região axilar, ou na região da virilha, procure o seu médico. O seu médico vai fazer o diagnóstico diferencial e consequentemente vai dar a você a conduta clínica adequada”.




Leia também:

Terra Brasil Notícias