Começam as buscas por desaparecidos após furacão Ian passar pela costa da Flórida

Começam as buscas por desaparecidos após furacão Ian passar pela costa da Flórida

EUA foram atingidos por fortes chuvas e vento de 241 km/h; mais de 2,5 milhões de residências e empresas ficaram sem energia

Nesta quinta-feira (29), equipes de resgate e moradores da costa do golfo da Flórida procuravam pessoas desaparecidas e recolhiam pedaços de casas destruídas depois que o furacão Ian atingiu a área com ventos uivantes, chuvas torrenciais e ondas furiosas.

Uma das tempestades mais poderosas a passar pelo continente americano nos últimos anos, Ian inundou comunidades e deixou mais de 2,5 milhões de casas e empresas sem energia antes de atravessar a península até a costa atlântica.

A tempestade atingiu a terra na ilha barreira de Cayo Costa, na tarde de quarta-feira, como um furacão de categoria 4, com ventos de 241 km/h.

Um número não especificado de pessoas ficou preso depois de optar por permanecer em casa em vez de atender às ordens de retirada, disse o governador da Flórida, Ron DeSantis.

Nas primeiras horas da manhã, moradores de áreas atingidas procuravam familiares e amigos, enquanto árvores, detritos e linhas de energia cobriam estradas e água parada varria o solo. A busca foi dificultada porque os serviços de telefonia celular eram frequentemente cortados.

“Muitas árvores caídas, muitas inundações por toda parte. Estamos tentando encontrar minha filha”, disse Terri Byrd, sentada em um veículo em um estacionamento do Walmart, tentando obter serviço de celular depois de passar a noite em uma escola primária em Venice.

Ian enfraqueceu enquanto passava pela Flórida, mas ainda produzia ventos fortes, chuvas e tempestades, inclusive na Geórgia e nas Carolinas, disse o Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos.

A tempestade, com ventos máximos sustentados de 100 km/h, estava cerca de 70 km a sudeste de Orlando, disse a organização.

O presidente Joe Biden aprovou uma declaração de desastre nesta quinta-feira, e disponibilizou recursos federais para os municípios afetados pela tempestade.

Não houve relatos oficiais de mortes relacionadas à tempestade nem ferimentos graves na Flórida. Mas as autoridades de fronteira dos EUA disseram que 20 imigrantes cubanos estão desaparecidos depois que seu barco afundou na costa, na quarta-feira.

Empresas de energia locais afirmaram que mais de 2,5 milhões de residências e empresas na Flórida ficaram sem energia nesta quinta-feira, após terem sido atingidas pela tempestade.

“Esta é uma tempestade sobre a qual falaremos por muitos anos, um evento histórico”, disse Ken Graham, diretor do Serviço Nacional de Meteorologia.




Leia também:

Terra Brasil Notícias