Justiça nega pedido da defesa e decide transferir Milton Ribeiro para Brasília

Justiça nega pedido da defesa e decide transferir Milton Ribeiro para Brasília

Advogado tentou manter ex-ministro em São Paulo

O ex-ministro da Educação Milton Ribeiro, preso em operação da Polícia Federal nesta quarta-feira, 22, será transferido para Brasília, decidiu o juiz Renato Borelli, da 15ª Vara da Justiça Federal do Distrito Federal, ao negar pedido da defesa para que ele ficasse em São Paulo. Ribeiro foi preso por suspeitas de envolvimento em corrupção e tráfico de influência durante o período em que comandou o MEC, entre julho de 2020 e março de 2022.

Foram presos na operação desta quarta-feira ainda os pastores Gilmar Santos e Arilton Moura. A principal acusação é que o Ministério da Educação privilegiava prefeitos indicados pelos pastores em repasses do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FDNE).

A defesa do ex-ministro alegou que a audiência de custódia poderia ocorrer em São Paulo, o que seria menos custoso para o Poder Judiciário. O advogado promete entrar com pedido de soltura de Ribeiro ainda nesta quarta-feira.

“Vamos entrar com pedido de habeas corpus visando ao reconhecimento da coação ilegal imposta, especialmente porque os fatos são pretéritos e sem contemporaneidade. Não se poderia decretar a medida excepcional”, informa nota assinada pelo advogado Daniel Bialski.




Leia também:

Terra Brasil Notícias