Equipe médica de Maradona vai ser julgada por homicídio

Equipe médica de Maradona vai ser julgada por homicídio

Oito pessoas responderão pelo crime, incluindo um médico, algumas enfermeiras e um psiquiatra

A Justiça da Argentina decidiu, na quarta-feira 22, que a equipe médica de Diego Armando Maradona, astro do futebol argentino que faleceu em novembro de 2020, será julgada por homicídio. Oito pessoas responderão pelo crime, incluindo um médico, algumas enfermeiras e um psiquiatra. Se condenados, eles podem pegar até 25 anos de prisão.

“O comportamento — ativo ou por omissão — de cada um dos acusados pode ter contribuído para o resultado prejudicial”, diz um dos trechos da decisão.

Maradona, na época com 60 anos, morreu em decorrência de uma parada cardíaca. A fatalidade ocorreu algumas semanas depois de o ex-jogador passar por uma cirurgia para remover um coágulo de sangue do cérebro. O tratamento médico recebido por Maradona ficou sob escrutínio depois de sua morte. Um grupo de médicos formado por 20 especialistas em saúde disse, em relatório divulgado em 2021, que havia irregularidades em seu tratamento.

O grupo acusou os médicos de agirem “de maneira inadequada, deficiente e imprudente”. Ele disse também que Maradona não deveria ter recebido alta logo depois de sua operação, porque ele era incapaz de cuidar de si mesmo. O médico e as enfermeiras teriam ignorado os sinais de risco à vida do paciente.

A morte do ídolo argentino levou a uma onda de tristeza no país. Os fãs construíram santuários improvisados, e o governo declarou três dias de luto.




Leia também:

Terra Brasil Notícias