‘Vou atacar uma escola’, avisou atirador no Facebook antes de massacre no Texas

‘Vou atacar uma escola’, avisou atirador no Facebook antes de massacre no Texas

Posts foram os únicos alertas anteriores à chacina, disse governador do Texas, acrescentando que autor de ataque não parecia ter ficha criminal ou histórico de problemas de saúde mental

O atirador do Texas que assassinou 19 crianças e dois professores em uma escola na cidade de Uvalde, na terça-feira, fez postagens no Facebook antes de abrir fogo no local, informou nesta quarta-feira o governador do estado, o republicano Greg Abbott. Outras 17 pessoas ficaram feridas no ataque, mas não correm risco de vida. 

Cerca de 30 minutos antes de chegar à escola, o atirador avisou que dispararia contra sua avó para, logo depois, relatar que havia atirado nela. Então, escreveu em um terceiro post que atacaria uma escola. Sua avó, que foi atingida no rosto, sobreviveu e chamou a polícia. 

— A terceira mensagem, provavelmente menos de 15 minutos antes de chegar à escola, dizia: ‘Vou abrir fogo em uma escola primária — especificou Abbott em uma coletiva de imprensa.

Imediatamente após a divulgação da informação, a rede social afirmou que o agressor publicou as advertências no aplicativo de mensagens privadas do Facebook e, portanto, as mensagens não foram descobertas até depois da tragédia. O Facebook está “cooperando plenamente” com a polícia que investiga o massacre, disse Andy Stone, porta-voz da empresa matriz do Facebook, Meta. 

O massacre de terça-feira na Robb Elementary School em Uvalde, a 130 quilômetros a Oeste de San Antonio, é o mais recente de uma série de chacinas que abalaram o país e o pior evento do tipo em uma escola em mais de dez anos. 

O atirador, identificado como Salvador Ramos, um estudante do ensino médio de 18 anos, fugiu da casa onde vivia com os avós e bateu o carro perto da Robb Elementary School. Ele entrou na instituição educacional por uma porta do fundos carregando um fuzil de assalto AR-15 e vestindo com um uniforme tático. Ele percorreu dois corredores curtos e em seguida entrou em uma sala de aulas do lado esquerdo, afirmou Abbott. 

Segundo autoridades, ele obstruiu a sala de aula da quarta série, onde assassinou os estudantes e professores antes de ser morto por um oficial da Patrulha de Fronteira dos EUA, disse Abbott.

Os posts no Facebook foram os únicos alertas anteriores à chacina, disse o governador, acrescentando que Ramos não parecia ter ficha criminal ou histórico de problemas de saúde mental. 

Ramos comprou dois fuzis AR-15 e 375 cartuchos de munição dias antes do ataque, pouco depois de completar 18 anos, disseram vários veículos de imprensa americano citando um senador estadual que recebeu informações da polícia. Na hora do ataque, ele deixou um dos fuzis no carro. 

Durante a coletiva, Abbott foi confrontado pelo democrata Beto O’Rourke, ex-congressista de El Paso e oponente político que o acusou de fracassar em lidar com a crescente violência armada. O’Rourke, que disputa o governo do Texas contra Abbot, interrompeu a coletiva aos gritos, afirmando que o governador e outros republicanos não estão fazendo nada para resolver o problema. 

— Você não está fazendo nada, propondo nada! — disse O’Rourke, dirigindo-se a Abbott. — Você disse que isso não era previsível, [mas] isso é totalmente previsível desde o momento em que decidiu não fazer nada. Isso é culpa sua — completou.

O’Rourke, que foi escoltado para fora do local da coletiva em meio a protestos dos presentes, adotou a luta pelo controle de armas como um dos principais temas de sua agenda política desde um ataque a tiros em um supermercado em El Paso, em 2019.




Leia também:

Terra Brasil Notícias