Polícia conclui que ex-mendigo não cometeu estupro de vulnerável; VEJA

Polícia conclui que ex-mendigo não cometeu estupro de vulnerável; VEJA

Givaldo Alves foi flagrado fazendo sexo com a mulher de um personal dentro de um carro, no DF; personal foi indiciado por agressões

A Polícia Civil do Distrito Federal finalizou nessa sexta-feira (20) o inquérito do caso envolvendo o ex-morador de rua Givaldo Alves, que em março deste ano foi agredido pelo personal trainer Eduardo Alves após ter sido flagrado fazendo sexo com a mulher dele, Sandra Mara Fernandes. Segundo a investigação, Givaldo não cometeu estupro de vulnerável. 

De todo modo, a Polícia Civil decidiu pedir o indiciamento do ex-morador de rua por difamação contra Sandra. Além disso, a corporação responsabilizou Eduardo pelo crime de lesão corporal leve, por causa das agressões a Givaldo. As conclusões foram enviadas à Justiça do Distrito Federal.

A defesa de Givaldo celebrou a conclusão do inquérito. “As graves e profundas feridas provocadas pela injusta acusação de estupro de vulnerável demorarão para cicatrizar, mas o sentimento é de que a justiça imperou, como deve ser”, escreveram os advogados Mathaus Arial Oliveira e Anderson Rodrigues.

R7




Leia também:

Terra Brasil Notícias