Novo ministro das Minas e Energia quer desestatizar Petrobras

Novo ministro das Minas e Energia quer desestatizar Petrobras

Adolfo Sachsida faz pronunciamento, evita falar em mudar política de preços de combustíveis, além de defender a privatização da Eletrobras

O novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, quer avançar com a privatização da Petrobras e da PPSA (Pré-Sal Petróleo). Ele disse nesta quarta-feira (11) que um dos seus primeiros atos como ministro será a solicitação formal de estudos sobre o tema. 
“Meu 1º ato como ministro de Minas e Energia será solicitar ao ministro Paulo Guedes, o presidente do PPI (Programa de Parcerias de Investimentos), que leve ao conselho a inclusão da PPSA no PND (Programa Nacional de Desestatização)”, afirmou Sachsida.

Ele seguiu: “Ainda como parte do 1º ato como ministro, solicito também o início dos estudos tendentes à proposição das alterações legislativas necessárias à desestatização da Petrobras”.

Adolfo Sachsida foi nomeado ministro de Minas e Energia nesta quarta-feira (11), depois de o presidente Jair Bolsonaro (PL) demitir o ex-ministro Bento Albuquerque. A troca foi motivada pela irritação do presidente com a alta dos combustíveis e a política de preços da Petrobras.

Nesta semana, a Petrobras anunciou mais um aumento do diesel. O combustível subiu 8,9% nas refinarias, irritando Bolsonaro. O presidente havia um feito um “apelo” na semana passada para que a empresa não aumentasse os preços. O chefe do Executivo pediu que a Petrobras “não quebre o Brasil” na live em que chamou o lucro da empresa de “estupro”. A Petrobras teve um lucro líquido recorde de R$ 44,5 bilhões no 1º trimestre de 2022.




Leia também:

Terra Brasil Notícias