Atletas trans não devem participar de competições femininas, afirma coalisão mundial de treinadores

Atletas trans não devem participar de competições femininas, afirma coalisão mundial de treinadores

Segundo o grupo, mulheres transgênero levam vantagem

Atletas trans não devem participar de competições femininas. A declaração foi feita no dia 13 pelo Grupo Mundial de Treinadores de Natação (WSCG, na sigla em inglês).

“Para o esporte da natação, a inclusão de pessoas trans, por motivos de justiça, não pode coexistir no modelo competitivo atual”, afirma o comunicado. “A natação deve optar por oferecer competições em que a categoria feminina seja protegida por motivos de justiça competitiva.”

De acordo com a WSCG, “mulheres trans” têm vantagens em competições femininas. A declaração afirma também que o oposto ocorre com “homens trans” em competições masculinas, e adverte que “forçá-los a entrar na divisão feminina, em muitos casos (e no mínimo), violaria” as regras antidoping.

“Se queremos proteger o esporte feminino, crescer nosso esporte e criar competições justas, há um forte argumento de que precisamos seguir o caminho da história e criar uma nova divisão para atletas trans”, argumenta o documento. Com a implantação da medida, “as mulheres trans competirão entre si” e “os homens trans competirão entre si”, explica.

Segundo a a publicação, “o papel histórico dos treinadores tem sido expandir o esporte e criar as melhores oportunidades competitivas para nossos atletas”.




Leia também:

Terra Brasil Notícias