STJ mantém prisão preventiva de Flordelis

STJ mantém prisão preventiva de Flordelis

Acusada de mandar matar o marido, pastora e ex-deputada está detida desde agosto do ano passado e será julgada pelo Tribunal do Júri em 9 de maio

A ex-deputada federal Flordelis (foto) teve um habeas corpus negado por unanimidade nesta terça-feira (26) pela Sexta Turma do STJ e continuará presa.

Acusada de mandar matar o marido, o também pastor Anderson do Carmo, em junho de 2019, Flordelis está em prisão preventiva desde agosto de 2021; seu mandato foi cassado pelo plenário da Câmara no mesmo mês. Ela será julgada pelo Tribunal do Júri no próximo dia 9 de maio.

O relator do habeas corpus no STJ, Saldanha Palheiro, argumentou que a prisão foi fundamentada e chamou o caso de “peculiar”. Também destacou que Flordelis descumpriu medidas como o uso obrigatório de tornozeleira eletrônica.

Flordelis foi denunciada (acusada formalmente) por ordenar a morte de Anderson e manter uma associação criminosa com seus filhos, netos e filhos afetivos.




Leia também:

Terra Brasil Notícias