Contando com a vitória nas próximas eleições, Ciro diz que vai abrir mão da reeleição

Contando com a vitória nas próximas eleições, Ciro diz que vai abrir mão da reeleição

O ex-ministro e pré-candidato à Presidência Ciro Gomes (PDT) afirmou nesta terça-feira (15) que irá abrir mão da reeleição, caso ganhe o pleito deste ano. Segundo ele, essa seria uma forma de evitar o jogo de interesses no governo federal.

“Se a gente repetir o mesmo modelo de organização da economia e o mesmo jeito de fazer política, a crise brasileira vai nos levar para o fundo do poço”, disse Ciro, em entrevista à Rádio CBN Recife.

“Eu vou fazer, porque ninguém confessa e os políticos não falam, mas hoje em dia quando elegem um cidadão, aqueles que querem o lugar do cidadão de presidente, ou na situação ou na oposição, trabalham diuturnamente para ele não acertar a mão. Porque se ele acertar a mão, ele vai ser reeleito. Então eu vou abrir mão da minha própria reeleição em troca da reforma para o país”, completou.

Para o pedetista, a eleição deve ser sobre propostas e ele irá apresentar todas as suas ideias durante o pleito. Já os primeiros 6 meses seria de negociação com o Congresso e com os poderes Executivos dos Estados para essa reforma geral da economia e da política.

“Eu vou negociar com os políticos que o povo eleger”, disse Ciro. “Porém, eu não vou negociar dentro de gabinete trancado em Brasília, que é onde o toma lá, dá cá e a roubalheira imperam.”

Ciro afirmou que irá fazer um novo pacto federativo com os prefeitos e governadores para o pagamento da dívida pública dos Estados e Municípios com a União. Esse acordo seria parte de uma reforma do modelo econômico no Brasil. Caso o Congresso resista a essa reforma, o pedetista afirma que irá realizar um plebiscito.

FENÔMENO MORO
Ciro voltou a afirmar que o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) não será candidato. Segundo ele, seu foco é em dialogar com aqueles que não querem nem o ex-presidente Lula (PT) nem o atual chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL).

“Eu tenho a resiliência”, disse Ciro. “Eu já suportei o fenômeno Luciano Huck, já suportei o fenômeno Mandetta, já suportei recentemente o fenômeno, como é, esse juiz, como chama…”. O entrevistador fala o nome de Moro e Ciro segue: “Aquilo nem candidato vai ser. São meteoros que a grande burguesia está tentando criar para tentar fazer um novo Collor, um novo Bolsonaro, que é a grande tragédia brasileira.”

Segundo o pedetista, ele está tentando resistir a polarização desde a redemocratização. Para ele, no entanto, não há uma 3ª via. O foco, para Ciro, é a mudança no modelo econômico e Lula e Bolsonaro tem a mesma proposta neste sentido.

“Discutir o modelo econômico significa a 2ª via. Porque o Lula é diferente do Bolsonaro — meu Deus, um é do campo da democracia e o outro é um bandido, não tem confusão —, mas sabe qual é o modelo econômico? O mesmo.”

Créditos: Poder 360.




Leia também:

Terra Brasil Notícias