Candidatos da terceira via ficam estagnados em nova pesquisa eleitoral e veem seus números derreterem

Candidatos da terceira via ficam estagnados em nova pesquisa eleitoral e veem seus números derreterem

Os candidatos que se propõem a ser uma alternativa a Luiz Inácio Lula da Silva e Jair Bolsonaro seguem estagnados e, a oito meses da eleição, não dão ainda sinais de um início de crescimento que possa alterar a polarização do cenário eleitoral brasileiro. Levantamento do Instituto Paraná Pesquisas divulgado nesta quarta-feira, 2, mostra que Sergio Moro (Podemos), Ciro Gomes (PDT) e João Doria (PSDB) oscilaram para baixo, dentro da margem de erro, em relação à ultima pesquisa da instituição, realizada em novembro.

O Paraná Pesquisas ouviu 2020 pessoas, em entrevistas face a face, de 162 municípios de todos os estados e do distrito federal, entre os dias 27 de janeiro e 1º de fevereiro. A pesquisa foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral sob o número BR-09055/2022.

Moro tem 10,1% das intenções de voto, de acordo com o levantamento. Em novembro, tinha 10,7%. No caso de Ciro, a oscilação negativa foi de 6,1%, no levantamento anterior, para 5,6% agora. Já para Doria a pesquisa indicou 2,4% dos votos, ante 3,1% obtidos anteriormente. Lula, que lidera o ranking, foi o único candidato que cresceu fora da margem de erro ante a última pesquisa.

A pesquisa aponta que 40,5% dos eleitores poderiam votar em Moro mesmo não indicando-o como principal candidato. No caso de Ciro, o percentual é de 36,5% do eleitorado. Já 27% dos eleitores afirmaram que poderiam votar em Doria – que lidera, entre os cinco principais candidatos, o índice de rejeição, com 64,3% das pessoas dizendo que não votariam nele de jeito nenhum.

Créditos: VEJA.




Leia também:

Terra Brasil Notícias