Sérvia protesta contra deportação de Djokovic

Sérvia protesta contra deportação de Djokovic

 A deportação de Novak Djokovic provocou indignação na Sérvia neste domingo (16), com líderes políticos e órgãos esportivos comentando a decisão das autoridades australianas de revogar o visto do astro do tênis na véspera do Aberto da Austrália.

O presidente sérvio, Aleksandar Vucic, disse que a Austrália “se humilhou”, enquanto o Comitê Olímpico do país chamou a decisão de “escandalosa”, enquanto outros sérvios somaram sua voz a um coro de desaprovação sobre a decisão do tribunal que viu Djokovic deportado.

“Eles acham que com isso, esses maus-tratos de dez dias humilharam Djokovic, mas eles se humilharam. Djokovic pode retornar ao seu país de cabeça erguida”, disse Vucic a um meio de comunicação estatal.

Vucic permaneceu firme em seu apoio a Djokovic durante todo o drama, chamando a detenção anterior da estrela do tênis não vacinada de “caça às bruxas política”.

O Comitê Olímpico da Sérvia também deixou claro seu desgosto ao tentar angariar apoio Djokovic.

“Estamos orgulhosos de Novak Djokovic e da maneira como ele lidou com essas circunstâncias extremamente difíceis e desagradáveis. Apesar dessa decisão escandalosa, acreditamos que Novak saiu como vencedor novamente”, disse o comitê em um comunicado publicado online.

Miomir Kecmanovic, que deveria enfrentar o nove vezes campeão Djokovic na primeira rodada do Aberto da Austrália, chamou o incidente de “pílula amarga de engolir”.

“Nossa pequena equipe sérvia aqui em Melbourne está chateada e decepcionada e acho que temos que fazer um esforço extra para vingar de alguma forma nosso melhor representante que foi impedido de estar aqui”, escreveu Kecmanovic no Instagram.

Mais cedo na Austrália, Djokovic disse que estava “extremamente desapontado” com a decisão do tribunal federal que confirmou o direito do governo de rasgar seu visto por temores de que ele esteja alimentando o sentimento antivacina e frustrado seu sonho para o momento de um 21º Grand Slam sem precedentes.

A decisão despertou o ressentimento entre os fãs de Djokovic na Sérvia, onde centenas se manifestaram em apoio ao filho nativo depois que ele foi detido pelas autoridades.

“É uma farsa… Tudo isso não tem nada a ver com o esporte”, disse à AFP Nebojsa Viskovic, jornalista que cobre principalmente o tênis.

“Todas as críticas sobre se ele foi vacinado ou não não se sustentam.”

Muitos outros sérvios ecoaram a visão.

“A decisão não é uma surpresa, mas ainda assim é vergonhosa”, disse Jadranka Misic, socióloga de 29 anos de Belgrado.

Para o fã de tênis Milovan Jankovic, a Austrália e o próprio torneio garantiram pouco mais que uma vitória de Pirro.

“Vai ser ridículo realizar o torneio sem o atual campeão e nove vezes vencedor.

“Se eu fosse Djokovic, nunca mais pisaria na Austrália”, acrescentou o vendedor de 57 anos.

Um “extremamente decepcionado” Djokovic disse que cumpriria a decisão unânime.




Leia também:

Terra Brasil Notícias