Lascou: 1ª criptomoeda LGBTQ+ é lançada e se chama Maricoin

Lascou: 1ª criptomoeda LGBTQ+ é lançada e se chama Maricoin

Na 6ª feira (31.dez.2021) foi lançada em um teste piloto, em Chueca, bairro em Madri (ES), a 1ª criptomoeda direcionada ao público LGBTQ+. Segundo a agência de notícias Reuters, os fundadores do projeto disseram que querem aproveitar o poder econômico da comunidade para “mudar o mundo”.

A moeda chama-se maricoin, em um jogo de palavras baseado em um xingamento homofóbico em espanhol (maricón, ou bicha, em português) e coin (moeda, em inglês). Os patrocinadores esperam que a moeda virtual comece a ser negociada agora em 2022, “abrindo caminho para que ela seja usada como meio de pagamento em negócios e eventos LGBT em todo o mundo”.

O cofundador da iniciativa Juan Belmonte, 48 anos, indagou à Reuters o motivo da categoria não lucrar com o mercado. “Já que movemos esta economia, por que nossa comunidade não deveria lucrar com isso, em vez de bancos, seguradoras ou grandes corporações que muitas vezes não ajudam as pessoas LGBT +?”

Segundo Belmonte, a ideia da criptomoeda começou a se formar em meados de 2017, quando o grupo ultraconservador HazteOir lançou uma campanha contra os direitos dos transgêneros com o slogan “Meninos têm pênis, meninas têm vulvas. Não se deixe enganar”.

A campanha logo foi proibida pelas autoridades espanholas, mas Belmonte disse que isso o fez perceber que “tinha que fazer algo” para ajudar a aumentar a influência econômica da comunidade LGBTQ+ na luta contra a homofobia.

Ainda de acordo com a Reuters, a Maricoin é apoiada pela Borderless Capital, firma de capital de risco com sede em Miami, e o presidente-executivo do projeto, Francisco Álvarez, disse que“8.000 pessoas já estavam em uma lista de espera para comprar Maricoins antes que a moeda começasse a ser negociada”.

A ideia é de que a criptomoeda seja aceita como pagamento em empresas, de restaurantes e cafés a lojas e hotéis, que assinaram um “manifesto de igualdade”. “Os estabelecimentos que aceitarem nossa moeda serão listados em nosso mapa, que funcionará como um guia LGBTQ+ para quem visita qualquer cidade do mundo”, define Álvarez.




Leia também:

Terra Brasil Notícias