EUA pedem adiamento no 5G por preocupação com tráfego aéreo

EUA pedem adiamento no 5G por preocupação com tráfego aéreo

Lançamento havia sido planejado originalmente para 5 de dezembro

Autoridades dos Estados Unidos pediram às principais operadoras de telecomunicações do país que suspendam por mais duas semanas a implementação da rede móvel de internet 5G, em meio a preocupações com a segurança dos voos.

O secretário de transporte americano, Pete Buttigieg, e o chefe da Administração Federal de Aviação (FAA, na sigla em inglês), Steve Dickson, solicitaram o atraso em carta emitida à AT&T e à Verizon, duas das maiores operadoras do país, em 31 de dezembro.

Eles pediram um adiamento “por um curto período adicional de não mais de duas semanas”. As duas empresas disseram que estão analisando o pedido.

O lançamento havia sido planejado originalmente para 5 de dezembro, mas foi adiado para 5 de janeiro depois que as gigantes da aviação Airbus e Boeing levantaram preocupações sobre a potencial interferência do 5G nos dispositivos que os aviões usam para medir a altitude. A faixa de frequências usada por ambas as tecnologias é a mesma.

Na carta, as autoridades americanas garantem às empresas que o serviço 5G poderá começar “conforme planejado em janeiro, com algumas exceções em aeroportos prioritários”.

Os oficiais dizem que sua prioridade tem sido “proteger a segurança dos voos, garantindo que a implantação do 5G e as operações de aviação possam coexistir”.

A AT&T e a Verizon adquiriram a autorização para começar a usar a frequência de 3,7-3,8 GHz – o chamado serviço de banda C – em fevereiro de 2021, após pagar dezenas de bilhões de dólares.

Inicialmente, a data inicial de lançamento da rede de Internet de alta velocidade foi adiada para que a FAA pudesse obter mais informações sobre os efeitos nos instrumentos de altímetro.

O conflito entre redes 5G e equipamentos de aeronaves levou as autoridades francesas a recomendar o desligamento dos telefones celulares 5G nos aviões, em fevereiro de 2021.

A autoridade de aviação civil da França disse que a interferência de um sinal em uma frequência próxima ao rádio-altímetro pode causar erros “críticos” durante o pouso.

Com informações da Deutsche Welle




Leia também:

Terra Brasil Notícias