ESTRANHO: Prefeito de cidade em Minas Gerais fecha atividades para “enfrentar as chuvas”

ESTRANHO: Prefeito de cidade em Minas Gerais fecha atividades para “enfrentar as chuvas”

O prefeito de Betim, Vittorio Medioli, decretou a suspensão de atividades ‘não-essenciais’ no município desde sábado passado em virtude das…chuvas. Isso mesmo, não é por causa da pandemia, é devido às chuvas.

O prefeito Medioli – tido como o mais rico do brasil – entende que fechar barbearias, academias e shoppings ajuda no combate aos estragos pela chuva. As informações são do Jornal da Cidade Online.

O decreto descreve que as chuvas estão causando:

“Destruição de estradas e bueiros, provocando alagamentos, causando sérios transtornos no território do município de Betim e colocando à população em risco.”

Claro que esse tipo de problema sempre merece toda atenção dos homens públicos, mas decretar ‘fechamento’ de uma cidade de 450 mil habitantes é um exagero. A baixada fluminense também sofre sazonalmente com as chuvas de verão, a solução então seria decretar o fechamento dos ditos ‘serviços não essenciais’ nos 13 municípios? Claro que não.

Não cabe a um prefeito definir o que é e o que não é essencial. Aliás, todo serviço é essencial.

Todavia, isso é resultado de um precedente perigoso aberto pela nossa mais alta Corte, que concedeu aos prefeitos o direito de ‘fechar a cidade’ quando bem eles entendessem. E agora já começamos ver os possíveis excessos.

A sociedade deve resistir e cortar esse mal pela raiz, antes que isso vire uma ferramenta política na mãos dos déspotas de plantão.




Leia também:

Terra Brasil Notícias