Rogério Marinho entrega obra de drenagem e pavimentação de 320 ruas em Natal

Rogério Marinho entrega obra de drenagem e pavimentação de 320 ruas em Natal

O Governo Federal, por meio do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), entregou, neste sábado (4), mais uma etapa das obras de saneamento integrado dos bairros de Nossa Senhora da Apresentação e Lagoa Azul, em Natal, no Rio Grande do Norte.

Foram concluídas drenagem, pavimentação e rede de águas pluviais de 320 ruas. O investimento federal na obra, que foi executada pela Prefeitura de Natal, é de R$ 136,5 milhões, dos quais R$ 117 milhões foram pagos desde 2019. Cerca de 19,6 mil famílias de baixa renda da capital potiguar foram beneficiadas. Agora, restam apenas 10 ruas com obras ainda em andamento nesses dois bairros.

A cerimônia de entrega da obra ocorreu no Loteamento Nordelândia, que integra o bairro Lagoa Azul. No local, cerca de 30 ruas receberam as obras. Para o ministro do Desenvolvimento Regional, Rogério Marinho, essas intervenções vão trazer vários benefícios para a cidade e para a população.

“Viemos ao estado do Rio Grande do Norte para prestar contas, para mostrar de que forma o recurso público está sendo aplicado em benefício da população que mais precisa dessa atividade”, destacou Marinho. “Investir em saneamento é melhorar a saúde da população. Além disso, obras como esta impactam diretamente na qualidade do meio ambiente. Por isso, o MDR tem envidado esforços para dar continuidade às obras iniciadas, levando mais dignidade ao povo brasileiro”, completa o ministro.

O prefeito de Natal, Álvaro Dias, também destacou a importância das obras. “Essas 300 ruas que foram drenadas e pavimentadas na Zona Norte e as lagoas de captação, ninguém tem ideia da dimensão e da magnitude de uma obra como esta. Quantas ruas vão deixar de ser alagadas durante o período do inverno por causa da construção e conclusão dessa lagoa de captação? São muitas ruas e a questão dos alagamentos na Zona Norte é um problema recorrente, antigo e que vai ser minimizado e muito”, comemorou.

Na região onde estão sendo realizadas as obras de saneamento integrado, há a utilização de águas de poços e nascentes, com perfil construtivo inadequado e próximo a fossas e sumidouros, o que faz com que a água utilizada tenha altos índices de contaminação.

Menos de cerca de 4% da população dos dois bairros têm coleta de esgoto, o que causa risco de doenças de veiculação hídrica e situação de degradação ambiental. “Essas obras têm a função de resgatar a salubridade e a qualidade básica de vida dessa população”, destaca Marinho.

Toda a obra de saneamento integrado inclui a construção de 4.972 ligações intradomiciliares de esgotamento sanitário, 86 kits sanitários, 15 quilômetros de rede de distribuição de água, 3,8 quilômetros de subadutora, um reservatório elevado de 500 m³, 42,6 quilômetros de galerias de águas pluviais, sete lagoas de detenção, 448 km³ de pavimentação e 10 equipamentos públicos comunitários (três praças, duas quadras, duas escolas, um CRAS e dois ecopontos).




Leia também:

Terra Brasil Notícias