Não cansam: Renan, Aziz e Randolfe endossam novo pedido de ‘impeachment’ de Bolsonaro

Não cansam: Renan, Aziz e Randolfe endossam novo pedido de ‘impeachment’ de Bolsonaro

Pedido, que será protocolado amanhã na Câmara dos Deputados, vai usar como base os fatos apurados na CPI da Covid

Um grupo de juristas irá protocolar na quarta-feira 7, na Câmara dos Deputados, um novo pedido de impeachment contra o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL).

O pedido vai usar como base os fatos apurados na CPI da Covid sobre a conduta do governo federal durante a crise da covid-19 no Brasil.

Entre os que assinam o pedido de impeachment estão Miguel Reale Júnior, Alexandre Wunderlich, José Carlos Dias (ex-ministro da Justiça no governo Fernando Henrique Cardoso) e Antônio Claudio Mariz de Oliveira (ex-presidente da OAB-SP).

Acompanham o ato de entrega os senadores que integraram a cúpula da CPI: Omar Aziz (PSD-AM), Renan Calheiros (MDB-AL) e Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

Após a CPI da Covid terminar, um grupo de senadores que participaram da comissão fez uma “caravana” para entregar o relatório final a uma série de instituições.

O colegiado investigou as ações do governo do presidente Jair Bolsonaro durante a pandemia, mas, não se debruçou sobre suspeitas e denúncias de corrupção envolvendo Estados e municípios.

O texto de Calheiros foi aprovado por 7 votos a 4. O placar já era esperado e reflete a composição da comissão, que sempre teve maioria oposicionista.

Ao final de seis meses de trabalho, a CPI pediu o indiciamento de 78 pessoas e duas empresas. Entre os alvos, está o presidente Jair Bolsonaro, acusado de pelo menos nove crimes.

Há também pedidos de indiciamento de ministros do atual governo, de ex-ministros, de três filhos de Bolsonaro, de deputados federais, de médicos, de empresários e do governador do Amazonas, Wilson Lima.




Leia também:

Terra Brasil Notícias