Com novo fundo partidário, PT terá mais de meio bilhão de reais para eleição em 2022

Com novo fundo partidário, PT terá mais de meio bilhão de reais para eleição em 2022

A Câmara dos Deputados derrubou nesta sexta-feira, 17, o veto do presidente Jair Bolsonaro ao trecho da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que destinava 5,7 bilhões de reais para o Fundo Especial de Financiamento de Campanha, conhecido como Fundo Eleitoral. Se o veto fosse mantido, o valor ficaria nos mesmos 2,1 bilhões de reais da eleição de 2020. O Fundo Eleitoral, totalmente composto de verba pública, é pago a todos os partidos em ano de eleições, divididos de acordo com a bancada que cada legenda conquistou em 2018.

O veto foi derrubado por 317 votos a 143. A derrubada do veto agora precisa ser confirmada pelos senadores para entrar em vigor.

Se passar, todos os partidos terão quase o triplo para gastar na campanha eleitoral do ano que vem em comparação com o valor de 2020. Mas alguns partidos terão mais o que comemorar porque transformarão uma bolada que já era grande em algo astronômico.

É o caso do PT, partido que tem a maior fatia da verba por ter eleito mais deputados em 2018: a legenda, que ficaria com algo em torno de 201 milhões de reais, agora terá 543,5 milhões para utilizar na campanha na qual o partido tentará levar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva de volta ao poder.

Outro que tem o que comemorar é o futuro União Brasil, que sairá da fusão do PSL (segunda maior bancada eleita) e do DEM (sétima): a nova sigla, que ainda precisa ser aprovada pela Justiça Eleitoral, pode abocanhar 865 milhões de reais.




Leia também:

Terra Brasil Notícias