Após vitória de esquerdista, Bolsa do Chile tem queda recorde e dólar dispara

Após vitória de esquerdista, Bolsa do Chile tem queda recorde e dólar dispara

A vitória de Gabriel Boric nas urnas no Chile não caiu bem no mercado. O peso chileno se desvaloriza em relação ao dólar e a Bolsa de Valores do país e despencou mais de 6,8% nesta segunda-feira (20).

Na abertura da bolsa e das casas de câmbio, o dólar atingiu o valor recorde de 871 pesos chilenos, uma alta de 3,67% em relação ao fechamento de sexta-feira. 

Os analistas já previam um efeito inicial muito negativo nos mercados após a vitória eleitoral do líder da aliança Aprovar Dignidade, que inclui a Frente Ampla de Boric e o Partido Comunista. E, segundo o portal Emol.com, há quem não descarte que o dólar possa chegar a 900 pesos chilenos nos próximos dias.

Já na Bolsa de Santiago, a IPSA, principal indicador do mercado chileno que reúne as principais ações, abriu com queda de 6,8% e continuou em queda para 7,19% logo após as 10h da manhã.

Analistas de mercado de ações estimam que a Bolsa de Valores de Santiago terá um dia volátil e poderá cair 10%.

A aliança de Boric com o Partido Comunista é o que mais gera desconfiança nos setores empresarial e financeiro do país.

O presidente eleito, que prevaleceu no segundo turno das eleições deste domingo por 55,87% dos votos contra 44,13% do ultraconservador José Antonio Kast, moderou seu tom nas últimas semanas e em seu primeiro discurso após a eleição na noite de domingo, ele pediu amplos acordos.

Ele também prometeu avançar os direitos sociais com responsabilidade fiscal e cuidar da economia.

Mas ele reiterou que se oporia a projetos de mineração que “destroem”, como um polêmico projeto de exploração de ferro e cobre.

Fonte: AFP e ANSA




Leia também:

Terra Brasil Notícias