NASA vai lançar um foguete ao espaço para atingir um asteroide, a viagem até o impacto será de 10 meses

NASA vai lançar um foguete ao espaço para atingir um asteroide, a viagem até o impacto será de 10 meses

A sonda da agência espacial, prevista para partir às 3h21 (horário de Brasília)da madrugada da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, Estados Unidos,

É o assunto de mais do que alguns filmes de ficção científica. O que aconteceria se um asteroide flutuando pacificamente pelo espaço desse uma guinada repentina para o apocalíptico?

A missão DART, ou Missão de Teste de Redirecionamento de Asteroide Binário (tradução do inglês), será lançada pela Agência Espacial Americana (Nasa) nesta quarta-feira (24). O objetivo é testar o potencial tecnológico humano contra um asteroide que poderia entrar em rota com a Terra no futuro.

A sonda da agência espacial, prevista para partir às 3h21 (horário de Brasília) da madrugada da Base da Força Aérea de Vandenberg, na Califórnia, Estados Unidos.

A missão irá colidir intencionalmente uma espaçonave em um asteroide que não representa perigo para a Terra e, se o céu estiver limpo, todos no sul da Califórnia deverão ser capazes de ver o lançamento da base da Força Espacial Vandenberg a noroeste de Santa Bárbara.

Em outras palavras, a NASA vai observar para a órbita de um asteroide antes do DART travar e, em seguida, olhar para a órbita novamente depois e ver o quanto o impacto muda a velocidade e o caminho desse asteroide enquanto ele viaja pelo espaço.

A NASA contratou a empresa SpaceX de Elon Musk para lançar o DART a bordo de um foguete Falcon 9 às 22h20, horário do Pacífico, na terça-feira (01h20 Leste / 0620 GMT de quarta-feira) da Base da Força Aérea de Vandenberg na costa da Califórnia, cerca de 150 milhas a noroeste de Los Angeles.

Se a decolagem for adiada, a NASA tem uma janela de lançamento de 84 dias para tentar novamente.

Uma vez liberado no espaço, o DART fará uma jornada de 10 meses até seu destino, a cerca de 6,8 milhões de milhas (11 milhões de km) da Terra.

Seu alvo é um asteroide “moonlet” do tamanho de um estádio de futebol que orbita um pedaço de rocha muito maior – cerca de cinco vezes maior – em um sistema binário de asteroides chamado Didymos, a palavra grega para gêmeo.

O moonlet, chamado Dimorphos, é um dos menores objetos astronômicos a receber um nome permanente. Mas com 525 pés (160 km) de diâmetro, seu tamanho é típico entre os asteroides conhecidos – restos semelhantes a escombros que sobraram da formação do sistema solar, 4,6 bilhões de anos atrás.

Leia também:

Terra Brasil Notícias