Busca por vítimas de queda de avião bimotor entra no 4º dia e mãe de copiloto pede orações

Busca por vítimas de queda de avião bimotor entra no 4º dia e mãe de copiloto pede orações

Neste domingo, o Corpo de Bombeiros e a Força Aérea Brasileira (FAB) entraram no quarto dia de buscas pelas vítimas do avião bimotor que caiu no mar entre Paraty (RJ) e Ubatuba (SP) na noite de quarta-feira . Até o momento, somente o corpo do piloto Gustavo Calçado Carneiro, de 27 anos, foi encontrado. No sábado, a FAB informou que já patrulhou quase dois mil quilômetros em busca de vítimas.

Nesta manhã, a mãe de José Porfírio de Brito Júnior, de 20 anos, o copiloto, publicou nas redes sociais o início das buscas. Ana Regina agradeceu aos bombeiros que estão empenhados em informações das vítimas.

Em uma publicação no feed do Instagram dela com a foto de um militar da aeronáutica, Ana também cita a corrente de oração que está recebendo pelo filho. “Todos em oração, meu filho! Força! Deus está contigo”, cita ela.

Além de José, também está desaparecido o passageiro do avião, que foi identificado como o empresário e campeão brasileiro de Jiu-Jitsu Sérgio Dias, conhecido como Serginho. Dono de uma empresa de blindagem de veículos, ele foi o responsável por fretar o avião.

Nas redes sociais, o ator Felipe Titto — que é garoto propaganda da empresa de Sérgio — pediu que todos fizessem uma corrente de oração para que o empresário seja achado o mais rápido possível. Horas após a queda ele postou vídeos em suas redes sociais.

Muito emocionada, a mãe do jovem, Leda Macedo, afirmou que não queria crer que era o filho e que não teria estruturas para enterra-ló.

“Infelizmente essa era uma notícia que não queríamos receber. Mas é meu irmão”, disse o universitário Guilherme Calçado Carneiro, de 21. “Sonhos foram interrompidos”, completou o rapaz.

Na manhã de sexta-feira, a namorada de Gustavo, Larissa Vicente, afirmou que não iria falar sobre o assunto. Antes do reconhecimento do corpo, a mãe do piloto afirmou que o jovem perdeu o pai há pouco tempo por Covid-19 e que estava muito triste.

“Ele (Gustavo) é tudo que tenho”, desabafou.

O acidente
O bimotor saiu do Aeroporto de Jacarepaguá, na manhã da última quarta-feira, seguiu para Campinas e retornaria à capital fluminense às 18h30 . No entanto, segundo familiares do copiloto, a viagem atrasou e a decolagem só aconteceu as 20h30min. Pouco depois das 21h, a mãe de rapaz, que acompanhava o trajeto, perdeu contato do rastreio. Desde a madrugada de quinta-feira, a família do copiloto passou a buscar pelo rapaz.

O trabalho de buscas na região do acidente está sendo feito também em conjunto entre o Corpo de Bombeiros do Rio e de São Paulo, a Marinha e a Aeronáutica . Estão sendo utilizadas motos aquáticas, embarcações e aeronaves.

De acordo com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), o avião estava em situação normal, com autorização para realizar voos noturnos, porém, não poderia fazer táxi aéreo. O bimotor foi fabricado em 1981. Seu Certificado de Verificação de Aeronavegabilidade (CVA) venceria em 6 de agosto de 2022.

Créditos: Último Segundo.




Leia também:

Terra Brasil Notícias