Pacheco “engaveta” projeto aprovado na Câmara por quase 400 votos que cobra impostos de grandes fortunas, veja o motivo

Pacheco “engaveta” projeto aprovado na Câmara por quase 400 votos que cobra impostos de grandes fortunas, veja o motivo

Aprovada na Câmara por 398×77 votos há 52 dias, a reforma do Imposto de Renda (IR) continua na gaveta do presidente do Senado, Rodrigo Pacheco. Nada de muito polêmico contém o projeto, mas o cativeiro em que se encontra tem a ver com a previsão de cobrança de IR sobre lucros e dividendos de grandes empresas. Senadores jovens, eleitos sem gastar grandes somas, revelaram a esta coluna que são os suplentes, que bancam campanhas dos titulares, quem barram a reforma. Além de suplentes, há também senadores milionários no mandato.

O projeto engavetado prevê que lucros e dividendos pagarão 20% de Imposto de Renda na fonte, mas não fundos de investimento em ações. O Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ) será reduzido de 15% para 8%, mas isso não foi suficiente para agradar os muito ricos.

Diário do Poder

Leia também:

Terra Brasil Notícias