Justiça nega novo pedido de habeas corpus e mantém prisão preventiva de Sérgio Cabral

Justiça nega novo pedido de habeas corpus e mantém prisão preventiva de Sérgio Cabral

A defesa do ex-governador pediu a revogação da prisão que ele cumpre no âmbito da Operação Lava Jato. As investigações apontaram na época para um desvio de mais de R$ 220 milhões em propina por obras estaduais.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou, na última quarta-feira (8), um pedido de habeas corpus (HC) feito pela defesa do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral. Preso desde 2016 no âmbito da Operação Lava, o político é suspeito de ter recebido mais de R$ 220 milhões em propina desviada da concessão de obras estaduais.

Segundo as investigações anexadas nesse processo, Cabral é investigado por receber propina da empreiteira Andrade Gutierrez, referentes ao contrato de terraplanagem do Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro. Ele foi condenado em primeiro grau, em junho de 2017, a 14 anos e dois meses de reclusão pelos crimes de corrupção passiva e de lavagem de dinheiro.

A sentença condenatória foi confirmada pela 8ª Turma do TRF4, em maio do ano seguinte. Atualmente, o processo se encontra em grau de recurso perante o Superior Tribunal de Justiça (STJ) e o Supremo Tribunal Federal (STF).

A decisão desta quarta pela manutenção da medida cautelar ao preso foi proferida por unanimidade pela 8ª Turma do TRF4.

Leia também:

Terra Brasil Notícias