Deu ruim: Procuradores da República que quiseram punir a União por operação Lava-jato enfrentarão processo no MPF

Deu ruim: Procuradores da República que quiseram punir a União por operação Lava-jato enfrentarão processo no MPF

Os procuradores da República Emanuel de Melo Ferreira e Luís de Camões de Lima Boaventura, com atuação em Mossoró, que ajuizaram ação civil pública contra a União pela atuação supostamente antidemocrática do ex-juiz Sergio Moro no âmbito da Lava-Jato, tornaram-se alvo de inquérito administrativo disciplinar do próprio órgão. O procedimento sigiloso foi instaurado de ofício

Os procuradores da República Emanuel de Melo Ferreira e Luís de Camões de Lima Boaventura, com atuação em Mossoró, que ajuizaram ação civil pública contra a União pela atuação supostamente antidemocrática do ex-juiz Sergio Moro no âmbito da Lava-Jato, tornaram-se alvo de inquérito administrativo disciplinar do próprio órgão, informa o site Justiça Potiguar.

O procedimento sigiloso foi instaurado de ofício na segunda-feira pela corregedora-geral do Ministério Público Federal (MPF), Elizeta Maria de Paiva Ramos.

Segundo o MPF, Moro agiu de modo “parcial e inquisitivo, demonstrando interesse em influenciar indevidamente as eleições presidenciais de 2018, após a qual foi nomeado ministro da Justiça”. A ação destaca, ainda, que a Lava Jato influenciou de modo inconstitucional o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff em 2016.

A Ação dos procuradores foi arquivada na Justiça Federal.

Leia também:

Terra Brasil Notícias