‘Se autoridades embargarem o voto auditável, a sociedade vai se enfurecer’, afirma Fiuza

‘Se autoridades embargarem o voto auditável, a sociedade vai se enfurecer’, afirma Fiuza

Em conversa com apoiadores nesta sexta-feira, 9, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) saiu em defesa do voto impresso e colocou em xeque a realização das eleições de 2022. Informa a matéria da Jovem Pan.

Além disso, reforçou a teoria de que fraudes teriam ocorrido em eleições anteriores e chamou de “idiota” o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). “Não culpo todos os servidores do TSE, mas há algo na cabeça que comanda ali. Se estamos defendendo o voto auditável, que vai garantir mais transparência para as eleições, por que Barroso é contra? É uma vergonha um cara desse estar ali. Defensor do aborto, da redução da maioridade para estupro e liberação das drogas, este é o perfil do homem que está à frente das eleições. Não podemos esperar as coisas acontecerem para tomarmos as providências. Depois, Barroso vem com a história esfarrapada de que o voto em papel desqualifica as eleições porque fere o sigilo do voto — essa é a resposta de um imbecil, lamento dizer isso de uma autoridade do STF, mas só sendo um idiota para falar isso. Nossa vida e nosso futuro estão em jogo, não pode um homem querer decidir o futuro do Brasil na fraude”, disse o chefe do Executivo.

O comentarista do programa Os Pingos Nos Is, da Jovem Pan, Guilherme Fiuza falou sobre as declarações de Bolsonaro sobre o voto auditável durante a edição desta sexta-feira.

Em sua fala, o comentarista relembrou os atos do dia 1º de maio que pediam a implantação da medida nas eleições 2022 e afirmou que a população pode se enfurecer caso não tenha seus anseios aprovados. “Essa disputa só pode acontecer com eleição limpa e sem aprimoramento do sistema eleitoral. Constituição do voto impresso auditável. O povo já entendeu que a eleição não será limpa. Se os senhores autoridades judiciárias insistirem dessa maneira nebulosa, pouco clara e com movimentações de bastidores e embargarem esse anseio da sociedade, ela, com todo direito, não confiará nesse processo. E a sociedade, com sua convicção clara vendo que está prestes a ser atropelada vai com toda certeza se enfurecer”, afirmou Fiuza.

Além disso, o comentarista falou sobre as pesquisas que apontam Lula como favorito na eleição: “Esses veículos que estão divulgado essas pesquisas foram os mesmos que não viram milhões de pessoas nas ruas do Brasil no dia 1º de maio. Eles não viram, é um escândalo da imprensa. Uma manifestação de um país inteiro, vocês não querem democracia nenhuma. Quem finge que uma manifestação desse tamanho não aconteceu não é honesto. E são esses veículos que estão ai apresentando o Lula”, afirmou Fiuza.




Leia também:

Terra Brasil Notícias