Redes sociais americanas devem seguir padrão de ataques a Trump para tentar derrubar Bolsonaro

Redes sociais americanas devem seguir padrão de ataques a Trump para tentar derrubar Bolsonaro

O YouTube excluiu 14 vídeos de lives do presidente Jair Bolsonaro, isso é um prenúncio do que vai acontecer até a eleição presidencial de 2022, o mesmo modus operandi é usado no Brasil, páginas de apoio ao presidente com milhares de seguidores estão caindo e sendo excluídas também nas redes do americano Zuckerberg que já declarou apoio as causas progressistas e deve usar a mesma artilharia no Brasil.

A lei do Marco civil da Internet já prévia esse tipo de movimento e em sua redação proíbe expressamente, o problema é que falta uma regularização por meio de um decreto que pode ser emitido pelo próprio Bolsonaro, em conversa com assessores, fomos informados que o presidente aguarda a redação por parte do ministério das comunicações para efetivar a regularização e tentar barrar essa censura através das Big Techs.

Leia também:

Terra Brasil Notícias