Novo avião presidencial dos EUA poderá viajar a 5 vezes velocidade do som

Novo avião presidencial dos EUA poderá viajar a 5 vezes velocidade do som

Esqueça o famoso Air Force One que já estrelou até filmes de Hollywood: o novo avião presidencial dos Estados Unidos deverá ser um jato supersônico. Ainda não está definido o substituto para o Boeing 747, mas há três projetos na disputa – e com investimentos do governo norte-americano.

No caso da californiana Exosonic, por exemplo, foi injetado 1 milhão de dólares (5,6 milhões de reais na conversão atual) para a construção de um jato capaz de voar a Mach 1,8. Ou seja, quase 2.222 km/h e duas vezes velocidades do som, perdendo por pouco do veterano Concorde de 1976.

Mas por que foram necessários praticamente 45 anos para voltar à discussão dos aviões executivos com capacidade de superar a barreira do som? Bom… pelos mesmos motivos que levaram à aposentadoria o clássico anglo-francês, que eram consumo elevado de combustível e poluição sonora.

Para se ter ideia, só era permitido superar 1.216 km/h (que, não por acaso, é considerado supersônica) fora do continente para não incomodar a população. E é justamente o problema do estrondo acima da velocidade do som que os novos projetos de aviões presidenciais prometem resolver.

E olha que a Exosonic promete que ser mais silencioso que o trânsito – e bem menos que metrô e que o próprio Concorde, por exemplo. Para isso, o fabricante aprimorou o desenho da aeronave, que também será capaz de voar entre Nova York e Los Angeles em apenas 3 horas. Hoje, é o dobro.

Para conquistar o contrato da Força Aérea dos Estados Unidos, a empresa reduziu a capacidade de 70 passageiros para apenas 31 viajantes na configuração presidencial. Por outro lado, há suítes privativas, salas de reunião e acabamento luxuoso com revestimento de couro, carvalho e quartzo.

Se ficou curioso para saber como será a cabine da aeronave, já foram reveladas as primeiras projeções da opção que disputará a preferência do líder norte-americano, com duas fileiras na configuração 2-2 para a parte principal, uma área com poltronas de classe executiva, dois lavabos e duas cozinhas.

Por enquanto, o projeto supersônico californiano ainda não saiu da prancheta, mas a previsão é de que o avião já esteja voando até meados da década de 2030. E, é claro, adequado às questões ambientais: a empresa garante que a autonomia de até 9.260 km será com combustíveis sustentáveis.

Outra companhia que concorre ao hangar presidencial nos Estados Unidos é a Boom Supersonic, que já criou o protótipo XB-1 para o processo de validação do Overture. De acordo com a empresa sediada na cidade de Denver, o primeiro voo está previsto para 2025, com certificação para 2027.

Com visual “tradicional” – se é que pode ser chamado assim –, o Overture tem capacidade para até 88 passageiros na opção para voo comercial e 45 pessoas na versão que disputa a posição de Air Force One. Já a velocidade é de Mach 2,2 (2.695 km/h) para ir de Nova York até Londres em 3h30.

Por fim, o todo-poderoso concorrente da Hermeus Corporation vai além dos rivais, com velocidades de até Mach 5. Isso significa que a aeronave pode voar a 6.125 km/h, o que significa que dá para cumprir o trajeto entre a capital inglesa e a “Big Apple” em 1h30 (é o tempo de São Paulo a Vitória).

Pode até parecer uma proposta mirabolante, mas acredite: o fabricante já colocou o propulsor em teste há mais de um ano e comprovou o funcionamento do sistema. E se por enquanto não há confirmação de quando o projeto estará pronto, a previsão é de que a produção só ocorra em uma década.

Leia também:

Terra Brasil Notícias