Modelo, universitária e mãe: A vida paralela da “Gatinha da Cracolândia”

Modelo, universitária e mãe: A vida paralela da “Gatinha da Cracolândia”

Presa por  tráfico de drogas na Cracolândia, ponto famoso de concentração de usuários na região central de São Paulo, Lorraine Romero Bauer, de 19 anos, conhecida como “gatinha da Cracolândia”, aparentava levar uma rotina normal para uma garota de classe média paulistana – fora do submundo das drogas.

Ela mora com a mãe, corretora de imóveis, o irmão e a filha de 10 meses em um condomínio fechado em Barueri, na Grande São Paulo. Desde o começo deste ano estava matriculada na faculdade de Direito de uma universidade privada paulistana.

Lorraine também tentava a carreira como modelo e, 2019, chegou a fazer contato com a agência de modelos com sede em São Paulo e filial no Rio de Janeiro. Ela chegou a trabalhar como garota propaganda de uma marca de roupas de Alphaville.

Desde outubro de 2020, ela se tornou mãe de uma menina e passou a postar vídeos nas redes sociais sobre os desafios da maternidade.

De acordo com seu irmão, Lorruam Bauer, Lorraine “se envolveu com pessoas erradas”. “Agora ela vai pagar pelo que fez. A família de maneira alguma vai passar a mão na cabeça dela”, disse o irmão em sua página no Instagram antes de fazer o pedido para reduzir a exposição da irmã nos veículos de imprensa.

Lorraine já havia sido detida com maconha, crack e cocaína no fim de junho na cracolândia, região conhecida pela concentração de usuários de drogas no centro de São Paulo. Na ocasião, ela cumpriu a pena em prisão domiciliar e tinha permissão para sair de casa apenas para consultas médicas.

Nesta quinta, a Polícia Civil de São Paulo prendeu Lorraine sob a acusação de vender e distribuir drogas nas barracas montadas na Cracolândia. O mandado de prisão foi baseado em imagens de Lorraine circulando no fluxo, como é chamada a concentração de usuários de drogas na cracolândia. A advogada de defesa nega as acusações.

Leia também:

Terra Brasil Notícias