BOMBA: Vacina da Pfizer gera 10 vezes mais anticorpos do que a CoronaVac, aponta estudo

BOMBA: Vacina da Pfizer gera 10 vezes mais anticorpos do que a CoronaVac, aponta estudo

A descoberta soma-se a um conjunto de provas que indicam a superioridade das vacinas de mRNA quanto à criação de imunidade contra o Sars-CoV-2, informa a Gazeta Brasil

Pessoas que foram vacinadas com a vacina Pfizer-BioNTech Covid-19 tem dez vezes a quantidade de anticorpos em comparação com aqueles que receberam a CoronaVac, vacina contra o novo coronavírus desenvolvida pela farmacêutica chinesa Sinovac em parceria com o Instituto  Butantan, é o que apontou um estudo de Hong Kong divulgado no “The Lancet Public Health” e divulgado pela “Bloomberg”.

De acordo com o estudo, a diferença nas concentrações de anticorpos neutralizantes “pode se traduzir em diferenças substanciais na eficácia da vacina”.

O estudo foi baseado em amostras coletadas de 1.442 profissionais de saúde que trabalham em clínicas médicas, hospitais públicos e privados em Hong Kong.

Os receptores do Sinovac tinham níveis “semelhantes ou mais baixos” de anticorpos em comparação com os pacientes que foram infectados pelo Covid-19 e conseguiram lutar contra a doença.

O estudo analisou apenas as concentrações de anticorpos neutralizantes – que não são a única medida da eficácia de uma vacina – e não incluiu nenhum dado sobre células T e outros marcadores potenciais de proteção. 

O estudo de Hong Kong e outras pesquisas em todo o mundo sugerem que as vacinas que usam a tecnologia de mRNA – como Pfizer e Moderna – podem oferecer proteção mais robusta contra o coronavírus e suas variantes em comparação com as vacinas de vírus inativados mais tradicionais. No entanto, essas vacinas de vetor viral são consideradas uma ferramenta crítica para vacinar a maior parte do mundo, pois são mais baratas e fáceis de produzir e armazenar.

28%. Essa é a porcentagem da população de Hong Kong que foi totalmente vacinada contra a Covid-19 até agora, de acordo com o rastreador oficial do governo . Mais de 40% da população recebeu pelo menos uma dose até agora.

Enquanto Pequim agia para reprimir mais fortemente a dissidência em Hong Kong, as vacinas da Covid-19 surgiram como um ponto crítico político. No início da campanha de vacinação, os líderes da cidade apoiados por Pequim optaram publicamente por receber a vacina Sinovac. Os cidadãos de Hong Kong, no entanto, têm confiado muito menos no jab chinês desenvolvido. De acordo com uma pesquisa divulgada em janeiro, 56% das pessoas estavam dispostas a tomar a vacina Pfizer-BioNTech, enquanto apenas 29,5% estavam dispostas a tomar a vacina Sinovac. Apesar de ter suprimentos adequados, apenas 1,8 milhão de injeções de Sinovac foram administradas na cidade até agora, em comparação com 2,6 milhões de doses da vacina Pfizer-BioNTech, acrescentou o relatório da AFP. Em março, as autoridades da cidade expulsaram uma clínica privada do programa de distribuição de vacinas da cidade depois de ter recomendado a injeção da Pfizer em pacientes em vez da de Sinovac.

Leia também:

Terra Brasil Notícias