Após suspeitas de crimes contra a dignidade sexual, o cirurgião plástico preso pela polícia já responde junto ao Cremers

Após suspeitas de crimes contra a dignidade sexual, o cirurgião plástico preso pela polícia já responde junto ao Cremers

Preso na última sexta-feira (16), o cirurgião plástico Klaus Wietzke Brodbeck já responde perante ao Conselho Regional de Medicina do Rio Grande do Sul (Cremers) pelo mesmo tipo de denúncia. O mesmo foi preso pela Polícia Civil por suspeita da prática de crimes contra a dignidade sexual. Informa a matéria do GZH.

As eventuais apurações não são comentadas pelo Cremers porque casos investigados pelo Conselho têm previsão de sigilo até que sejam concluídos sem a possibilidade de recursos. Mas GZH confirmou que tramitam no órgão sindicâncias e processos ético-profissionais por suspeitas de abuso e assédio sexual.

Brodbeck já foi alvo de censura pública pelo Cremers, mas em outro tipo de situação, que envolve um suposto erro médico. Foi enquadrado nos artigos 32 (isentar-se de responsabilidade de qualquer ato profissional que tenha praticado ou indicado, ainda que este tenha sido solicitado ou consentido pelo paciente ou seu responsável legal) e 56 (desrespeitar o direito do paciente de decidir livremente sobre a execução de práticas diagnósticas ou terapêuticas, salvo em caso de iminente perigo de vida) do Código de Ética Médica em vigor em 2008, data da sanção. 

O vice-presidente do Cremers, Eduardo Neubarth Trindade, disse que na terça-feira (13), dia em que a Polícia Civil fez a operação de busca e apreensão em endereços do médico, que o órgão já abriu procedimento para apurar as denúncias:

— O prazo para a sindicância é de 180 dias, mas pela gravidade dos fatos, vamos reduzir ao máximo esse tempo.

Depois de concluída a sindicância, se os fatos forem confirmados, é aberto processo ético-profissional, que é julgado para determinação de sanções. Pode haver recurso junto ao Conselho Federal de Medicina. No caso de Brodbeck, levando em conta a gravidade e a quantidade de vítimas, Trindade disse que pode haver até cassação definitiva do registro de médico do suspeito.




Leia também:

Terra Brasil Notícias