A companhia aérea Azul, diz a CPI que puniu piloto que “deixou” Bolsonaro subir em aeronave

A companhia aérea Azul, diz a CPI que puniu piloto que “deixou” Bolsonaro subir em aeronave

Como se o piloto pudesse impedir o Presidente da República de adentrar em uma aeronave em solo nacional, eles enviaram uma resposta à CPI da cloroquina em que informa que a Azul responsabilizou um piloto da empresa por permitir que o presidente Jair Bolsonaro entrasse em um avião apenas para cumprimentar a tripulação, essa resposta é descabida pois o presidente da República como autoridade máxima do país poderia até requisitar um lugar na aeronave ou a própria aeronave se preciso fosse.

Nota-se que o comandante da aeronave estava fazendo uso da máscara facial de forma adequada, uma vez que estava ciente de sua obrigatoriedade, contudo, diante da presença atípica e inesperada do presidente da República, deixou de conter o ímpeto de manter-se com a máscara no local adequado, no momento em que tirou uma foto”, diz nota da Azul.

A Azul afirmou também ter tomado as “medidas cabíveis” para punir o piloto.

Leia também:

Terra Brasil Notícias