Fabricante da Covaxin desmente notícia falsa do Estadão sobre preço da vacina. Entenda

Fabricante da Covaxin desmente notícia falsa do Estadão sobre preço da vacina. Entenda

Mais uma notícia falsa do Estadão foi desmentida nesta quarta-feira (23). O laboratório indiano Bharat Biotech, fabricante da vacina Covaxin, veio a público para esclarecer uma série de informações equivocadas sobre o contrato de compra da vacina indiana pelo governo brasileiro presentes na reportagem.

Segundo o laboratório, o preço de tabela do imunizante para todos os países varia entre 15 e 20 doláres. O Brasil teria assinado o contrato com o preço mais baixo, ou seja, 15 dólares por cada uma das 20 milhões de doses da vacina Covaxin.

A companhia esclareceu que o valor de 150 rúpias (aproximadamente U$ 3) é o preço praticado no mercado interno da Índia, não sendo praticado nas doses exportadas. “O preço de fornecimento da Covaxin ao governo da Índia de 150 rúpias / dose, é um preço não competitivo e claramente não sustentável no longo prazo”, disse o comunicado. “Portanto, um preço mais alto no mercado privado é exigido para compensar parte do custo”. Esta informação joga por terra a tese de que houve sobrepreço de 1.000% na operação, como indica a matéria do Estadão.

O posicionamento do laboratório confirma a fala do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que disse que o Brasil ainda não efetivou a compra das doses. “Embora os orçamentos para as compras da COVAXIN tenham sido alocados, até a data não foi feito nenhum fornecimento para o Brasil. A Bharat Biotech tem a capacidade de fabricação para fornecer as quantidades necessárias ao Brasil, aguardando aprovações e recebimento de ordens de compra de agências de compras no Brasil”, disse.

O laboratório também esclareceu que “a aquisição e fornecimento da COVAXIN para o governo brasileiro será executada diretamente entre a Bharat Biotech e o Ministério da Saúde”, não havendo interferência da Precisa Medicamentos nesta negociação. “A aquisição e fornecimento da COVAXIN para o governo brasileiro será executada diretamente entre a Bharat Biotech e o Ministério da Saúde”, concluiu.null

O posicionamento do laboratório confirma a fala do Ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, que disse que o Brasil ainda não efetivou a compra das doses. “Embora os orçamentos para as compras da COVAXIN tenham sido alocados, até a data não foi feito nenhum fornecimento para o Brasil. A Bharat Biotech tem a capacidade de fabricação para fornecer as quantidades necessárias ao Brasil, aguardando aprovações e recebimento de ordens de compra de agências de compras no Brasil”, disse.

Leia também:

Terra Brasil Notícias