US$ 130 bilhões, fundação e caderno de Da Vinci: O que está envolvido no divórcio de Bill e Melinda Gates

US$ 130 bilhões, fundação e caderno de Da Vinci: O que está envolvido no divórcio de Bill e Melinda Gates

O centibilionário Bill Gates e sua esposa, Melinda Gates anunciaram divórcio nesta segunda-feira (3), pondo fim a 27 anos de casados. “Depois de pensar e trabalhar muito em nosso relacionamento, decidimos tomar a decisão de dar fim ao nosso casamento”, anunciou Gates em seu perfil no Twitter. “Não acreditamos mais que possamos crescer como casal nesses próximo estágio de nossa vida”, conclui o comunicado.

Um divórcio envolvendo fortunas como a de Gates têm um impacto e tanto. Segundo dados do jornal Forbes, Bill Gates hoje tem um patrimônio estimado em 130,5 bilhões de dólares, significando que um acordo entre os dois pode levar Melinda Gates ao clube dos maiores bilionários. Foi o que aconteceu, por exemplo, com MacKenzie Scott, ex-esposa de Jeff Bezos (fundador da Amazon), que recebeu um total de 4% das ações da Amazon após a separação e hoje detém uma fortuna de cerca de US$ 59,8 bi – ocupando a 22ª posição na lista de super ricos da publicação.

Os exatos termos do divórcio entre Bill e Melinda ainda estão para ser divulgados, então é impossível saber o quanto vai custar essa separação. Além disso, a situação com os Gates é bem diferente do divórcio dos Bezos. A maior parte da fortuna de Jeff e MacKenzie estava concentrada na Amazon, na companhia espacial Blue Origin e no jornal Washington Post. Já a dos Gates é mais pulverizada: Bill ainda detém 1,37% das ações na Microsoft (empresa cuja direção deixou há mais de 20 anos), mas espalha seu patrimônio por dúzias de empresas de capital aberto através de sua holding, a Cascade Investiment.

Se ambos decidirem por um acordo similar a de Bezos, digamos, trocando ações da Amazon pelas da Microsoft que Bill ainda detém (avaliadas em cerca de US$ 26 bi, segundo a firma de informações financeiras FactSet), estamos falando de algo na casa dos US$ 6,5 bilhões. Já se o caminho for compartilhar o valor do portfólio da Cascade, hoje calculado em cerca de US$ 73,6 bi (segundo a frima de pesquisa Fintel), o acordo pode resultar em um montante na casa dos US$ 18,39 bi passando para as mãos de Melinda. Vale lembrar que na lista ainda podem estar patrimônios como o lar do casal em Washington, avaliada em mais de 120 milhões de dólares, e sua coleção de arte, incluindo um caderno original de Leonardo Da Vinci arrematado pelo centibilionário em 1994 por US$ 30 milhões.

Sabe-se, por outro lado, que ambos continuarão ativos na Fundação Bill e Melinda Gates – gigante da filantropia que montaram em 2000 – mesmo após o fim do matrimônio.

Leia também:

Terra Brasil Notícias