Ministro de Minas e Energia diz não haver risco de racionamento

Ministro de Minas e Energia diz não haver risco de racionamento

O ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, garantiu que não há risco de um novo racionamento de energia no país, apesar de as hidrelétricas das regiões Sudeste e Centro-Oeste terem registrado a pior seca das últimas décadas.

”Não trabalhamos com essa possibilidade [de racionamento] porque tudo indica que nós temos o controle da situação. Todos os nossos modelos, nossos acompanhamentos indicam que não há risco de racionamento, de apagão, no ano de 2021”, apontou o ministro.

Em entrevista concedida ao jornal O Globo e publicada nesta segunda-feira (31), Albuquerque ainda disse esperar “chegar ao fim do ano numa situação mais confortável, para que a gente possa passar 2022 com tranquilidade e custo de energia mais baixo”.

O governo federal divulgou, na última sexta-feira (28), um alerta de emergência hídrica para o período de junho a setembro em cinco estados: Minas Gerais, Goiás, Mato Grosso do Sul, São Paulo e Paraná. É o primeiro alerta dessa natureza em 111 anos de serviços meteorológicos no país.

Aliado a isso, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) informou que a bandeira tarifária em junho de 2021 será vermelha, patamar 2. Na prática, isso significa que haverá custo extra de R$ 6,243 para cada 100 quilowatts/hora (kWh) consumidos. Na entrevista, o ministro ainda afirmou que o governo está adotando todas as medidas para que o impacto seja o menor possível.

“Essa crise hidrológica independe da nossa vontade, é um fenômeno da natureza. Mas a população pode ficar tranquila. Nós estamos adotando todas as ações para que os impactos sejam os menores possíveis e para que nós possamos dar continuidade na retomada da atividade econômica”, completou.

Leia também:

Terra Brasil Notícias