Fim da CPI? Esquerda perde narrativa de que Bolsonaro comprou vacinas atrasadas com declaração de Pacheco: “Ele não poderia comprar sem a lei”

Fim da CPI? Esquerda perde narrativa de que Bolsonaro comprou vacinas atrasadas com declaração de Pacheco: “Ele não poderia comprar sem a lei”

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, afirmou que a chegada das vacinas da Pfizer não poderiam acontecer sem que a Lei 14.125/21 fosse sancionada. Isto destruiu toda a narrativa imposta pela esquerda de que o presidente Jair Bolsonaro demorou para viabilizar os insumos para o Brasil e acaba o principal argumento negativo da oposição para a implantação da Comissão de Inquérito Parlamentar (CPI) contra o governo federal.

“O Brasil acaba de receber 1 milhão de doses da vacina da Pfizer/BioNTech, de um total de 100 milhões de doses, cuja aquisição pelo Governo Federal foi viabilizada pela Lei 14.125/21, que tive a satisfação de ser o autor. Isso é um exemplo de que a união gera resultados efetivos”, publicou.

A fala do senador Rodrigo Pacheco torna essa narrativa insustentável, uma vez que deixa claro que não havia meios legais de fazer a aquisição destas vacinas no ano passado, exceto se houvesse mudança na legislação em tempo hábil, o que não ocorreu com a Câmara dos Deputados chefiada pelo ex-presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

Leia também:

Terra Brasil Notícias